Habitação Social, Vulnerabilidade Social e Serviço Social: Um Ensaio sobre o Fracasso da Mudança Social nos Bairros Sociais

  • Clara Santos
Palavras-chave: Habitação Social, Rsco e Desfiliação Social, Intervenção Social Critica

Resumo

As soluções implementadas ao nível das políticas atuais de habitação social têm fomentado a concentração de famílias com problemas económicos, sociais e culturais semelhantes no mesmo espaço geográfico. A intervenção dos trabalhadores sociais nestes bairros tem-se pautado por um ideal de “reabilitação” (Mendes, 1997: 73), preconizando “(…)reabilitá-los simbolicamente aos olhos da cidade, para que os próprios moradores se libertem duma auto-imagem desvalorizada.” (Pimenta, Ferreira & Ferreira, 2001: 47). A questão do contexto espacial e das representações socias criadas parece particularmente importante na (re)construção das identidades dos residentes nos bairros sociais, já que se vêm obrigados a encontrar formas de demarcação face ao bairro e à generalidade dos seus moradores, na tentativa de se preservarem a si próprios. Neste processo de (re)construção,  os indivíduos devem “(…) ser reconhecidos como actores e não como figurantes, como objectos, como desafios ou como espectadores de decisões que lhes dizem respeito e lhes escapam e às quais correm o risco de escapar.” (Clavel, 2004: 180). Esta evolução tem de garantir que habitar não é só ter um teto, integra, igualmente a inserção social, enfatizando as parcerias, perspetivando o desenvolvimento de ações no âmbito dos diversos programas existentes.  O presente artigo pretende discutir os aspetos da criação de identidades “desfiliadas” nos bairros sociais bem como os desafios que se colocam à prática dos trabalhadores sociais neste contexto. 

Biografia do Autor

Clara Santos
Mestre em Serviço Social pela Faculdade de Psicologia e Ciências de Educação - Universidade de Coimbra.
Publicado
2015-10-27