Como pode isto: Trabalhar como Escravo, Passar Fome num Estado Rico? Só não Morri, porque Aqui e Acolá, tem Alguém pra Ajudar

  • André Luiz dos Santos Borin
  • Camila de Moraes Ferreira Borin
Palavras-chave: Trabalho Escravo, Direitos Humanos, Ribeirão Preto

Resumo

A incidência do trabalho escravo no território nacional, bem como em diversos outros países do globo,tem preocupado instâncias da sociedade civil, por exemplo, intelectuais, estudantes, ONG´s de defesados Direitos Humanos, e órgãos públicos como, o Ministério do Trabalho e Emprego, MinistérioPúblico, dentre outros. Mais preocupante do que a persistência da escravidão na contemporaneidade équando tal prática percebe-se velada, sobretudo em países ou regiões ricas, onde prevalece a lógica daracionalização do lucro e mecanização dos meios de produção, sob a égide do desenvolvimento: puroengodo. À revelia dessa falsa compreensão, numa das regiões mais ricas do Brasil – a de Ribeirão Preto,especificamente no município de Sertãozinho, pôde-se observar trabalhadores em condições deescravidão. É sobre tais implicações de que trata o presente artigo.
Publicado
2012-05-14