Perfil e percepções dos feirantes em relação ao trabalho e segurança alimentar e nutricional nas feiras livres

  • Isabel Cristina Soares Campos
  • Priscila Cintra Figueiredo
  • Natália Ruza Ribeiro
  • Brenda Xavier Martins
  • Nadine Piller Albino Marques
  • Mirella Lima Binoti Departamento de Nutrição- Instituto de Ciências Biológicas- Universidade Federal de Juiz de Fora
Palavras-chave: Segurança Alimentar. Feiras livres. Agricultura

Resumo

As feiras livres de Juiz de Fora procuram fomentar a participação dos feirantes e dos pequenos produtores no abastecimento e na oferta de produtos de alta qualidade. O objetivo deste trabalho foi descrever o perfil socioeconômico e demográfico dos feirantes e suas percepções sobre o trabalho e sobre as condições de segurança alimentar e nutricional nas feiras da cidade de Juiz de Fora (MG). Trata-se de um estudo com delineamento transversal, descritivo e quantitativo. Foram realizadas entrevistas com 100 feirantes das 15 feiras da cidade, existentes no período do estudo, utilizando um questionário elaborado para a pesquisa. Os dados foram descritos por meio da distribuição de frequências absolutas e relativas utilizando o programa Excel, processados e analisados por meio do programa Epi Info 7.2.1.0. Utilizou-se o teste de Qui-quadrado para avaliar a associação entre as variáveis (p<0,05). O perfil dos feirantes é representado por homens (64%, n=64) de meia idade, casados (57%, n=57), com escolaridade até o ensino fundamental (37%, n=37) ou médio (48%, n=48) e que atuam nas feiras há mais de uma década (59%, n=59). As feiras têm caráter familiar e são, por vezes, os únicos meios para obtenção do sustento (64%, n=64) dos feirantes.  Dentre os problemas enfrentados, o mais citado foi a falta de segurança (32%, n=32). Apesar do relato de preocupação com a higiene (75%, n=75), foram presenciadas condições distantes da garantia de segurança alimentar. São necessárias ações educativas aos feirantes e apoio governamental para melhoria das condições de trabalho dos feirantes e para a garantia da segurança alimentar e nutricional.

Biografia do Autor

Mirella Lima Binoti, Departamento de Nutrição- Instituto de Ciências Biológicas- Universidade Federal de Juiz de Fora
Professora adijunta, departamento de nutrição.

Referências

ALMEIDA, M. D; PENA, P. G. L. Feira livre e risco de contaminação alimentar: estudo de abordagem etnográfica em Santo Amaro, Bahia. Revista Baiana de Saúde Pública. Salvador, v. 35, n. 1, p. 110-127. jan./mar., 2011.

AZEVEDO, MBA; NUNES, EM. As feiras da agricultura familiar: um estudo na rede Xique Xique nos territórios Açu-Mossoró e Sertão do Apodi (RN). Revista GeoTemas, v. 03, .20, p. 59-74, jul./dez. 2013.

ANJOS, F.S.; GODOY, W.I.; CALDAS, N.V. As feiras livres de Pelotas sob o império da globalização: perspectivas e tendências. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, p. 195, 2005.

BASTOS, A. V. B.; PINHO, A. P. M.; COSTA, C. A. Significado do trabalho: um estudo entre trabalhadores inseridos em organizações formais. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 6, p. 20-29, nov./dez., 1995.

BEIRÓ, C. F. F.; SILVA, M. C. Análise das condições de higiene na comercialização de alimentos em uma feira livre do Distrito Federal. Universitas: Ciências da Saúde, v. 7, n. 1, p. 13-28, jan/jun., 2009.

BENTO, D. G. C.; TELES, F. L. A sazonalidade da produção agrícola e seus impactos na comercialização de insumos. Revista Científica do Centro de Ensino Superior Almeida Rodrigues, v. 1, n. 1, p.15-19, jan. 2013.

BRASIL. Consolidação das Leis do Trabalho. Decreto-lei n. 5.452, de 01 de maio de 1943. Diário Oficial da União, Brasília, 1943. Disponivel em: http://www2.camara.leg.br/leginin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-5452-1maio-1943-415500-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em 01 mai. 2017.

BRASIL. Lei n. 11346, de 15 de setembro de 2006. Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional (LOSAN). Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN) com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 set. 2006. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11346.htm>. Acesso em 01 mai. 2017.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. Manual de Gestão do Programa Bolsa Família. 2 ed. Atualizada, Brasília, 2015. 136 p. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11346.htm>. Acesso em 01 mai. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução nº 216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Brasília: Diário Oficial da União; 2004. Disponivel em: <http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/388704/RESOLU%25C3%2587%25C3%2583O-RDC%2BN%2B216%2BDE%2B15%2BDE%2BSETEMBRO%2BDE%2B2004.pdf/23701496-925d-4d4d-99aa-9d479b316c4b>. Acesso em 01 mai. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia Alimentar Para a População Brasileira. 2 ed. Brasília, 2014. 156 p.

COTRIM, D. (Org.). Desenvolvimento rural e agricultura familiar: produção acadêmica da Ascar. Porto Alegre, RS: Emater/RS-Ascar, 2014. (Coleção Desenvolvimento Rural, v. 3).

CONFORT, A. M. A.S. et al. Perfil Socioeconômico de Agricultores Familiares do Município de Muniz Freire, Espírito Santo. Revista Guará, v. 1, n. 5, p.119-128, jun. 2016.

FERREIRA, L.C.R.P. et al. Percepção ambiental dos feirantes em relação aos resíduos orgânicos desperdiçados na CEAPI, Teresina – PI. In: V CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL, 2014, Belo Horizonte. Anais. São Paulo: IBEAS, 2014. p. 1-5.

HOFFMANN, R. Distribuição de renda e crescimento econômico. ESTUDOS AVANÇADOS, v. 15, n. 41, p. 67-76, jan./abr. 2001.

GRECZYSZN, R.; FAVARÃO, S. C. M. Perfil socioeconômico de agricultores feirantes da microrregião de Campo Mourão, PR. Revista Ciências Exatas e da Terra e Ciências Agrárias, v. 8, p. 10-17, ago. 2013.

GOMES, José Carlos. Legislação de alimentos e bebidas. Viçosa: UFV, 2007. 365 p.

LOPES. L.H. Feiras livres em Florianópolis – SC: práticas sustentáveis na comercialização de frutas, legumes e Verduras in natura. Dissertação submetida ao Programa de Pós-Graduação em Nutrição da Universidade Federal de Santa Catarina para a obtenção do Grau de Mestre em Nutrição. Florianópolis, 2014.

MALLON, C.; BORTOLOZO, E. A. F. Q. Alimentos comercializados por ambulantes: uma questão de segurança alimentar. Ciências Biológicas e da Saúde, v. 10, n. 3/4, p. 65-76, set./dez. 2004.

MARION, A.A.; BONA, A.N. A importância da mulher na agricultura familiar. Curso de Cooperativismo Solidário e Crédito Rural. Publica Cresol. Francisco Beltrão, p. 1-11, 2016.

NOCELLI, G. 2017. Em um mês, 100 mil pessoas vão às feiras livres de JF. Tribuna de Minas. Disponível em: https://tribunademinas.com.br/noticias/economia/07-09-2017/em-um-mes-100-mil-pessoas-vao-as-feiras-livres-de-jf.html. Acesso em 14 ago. 2018.

OLIVEIRA, A. D. M., GONÇALVES, M. O., SHINOHARA, N. K. S., & STAMFORD, T. L. M. Manipuladores de alimentos: um fator de risco. Higiene alimentar, v. 17, n. 114/115, p. 12-19, nov./dez. 2003.

Prefeitura de Juiz e Fora, Secretaria de Agropecuária e Abastecimento, SAA. FEIRA LIVRE.: [s.n.], 2016. Disponível em: <https://www.pjf.mg.gov.br/secretarias/saa/feira_livre.php>. Acesso em: 10 de maio de 2017.

RIBEIRO, E. M. et al. Programa de apoio às feiras e à Agricultura Familiar no Jequitinhonha mineiro. Revista Agriculturas: experiências em agroecologia, v. 2, n. 2, p. 5-9, jun. 2005.

ROCHA, C. H. et al. Perfil socioeconômico dos feirantes e consumidores da feira do produtor de Passo Fundo, RS. Ciência Rural, v. 40, n. 12, p. 2593-2597, dez. 2010.

SANTOS, M.S.; FERREIRA, D.J.; SANTOS, R.L. A feira livre como alternativa de geração de renda para agricultura familiar no município de Santo Estevão - BA. In: VI CONGRESO IBEROAMERICANO DE ESTUDIOS TERRITORIALES Y AMBIENTALES, 2014, São Paulo, SP. Anais. USP, 2014, p.685-699.

SILVA, G.P. et al. Perfil e percepções dos feirantes em relação a feira livre dos municípios de São Pedro do Sul (RS) e Santo Augusto (RS). Revista Monografias Ambientais – REMOA, v. 13, n. 2, p. 3203-3212, mar. 2014.

SOUSA FILHO, H.M.S.; BONFIM, R.M. Oportunidades e desafios para a inserção de pequenos produtores em mercados modernos. In: CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS (CGEE). A pequena produção rural e as tendências do desenvolvimento agrário brasileiro: ganhar tempo é possível? Brasília: CGEE, 2013, cap.3, p. 71-100.

SOUZA, E. S.; DA SILVA, P. Perfil socioeducacional e identidade do feirante de Itabaiana - SE. Psicologia em foco, v. 2, n. 1, p. 66-78, jan./jun. 2009.

Publicado
2018-10-15
Como Citar
1.
Campos ICS, Figueiredo PC, Ribeiro NR, Martins BX, Marques NPA, Binoti ML. Perfil e percepções dos feirantes em relação ao trabalho e segurança alimentar e nutricional nas feiras livres. hu rev [Internet]. 15º de outubro de 2018 [citado 15º de agosto de 2020];43(3):247 -254. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2869
Seção
Artigos Originais