Desenvolvimento de material educacional interdisciplinar para prevenção e tratamento da obesidade

  • Tayná Moreira Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Paula Silveira Mendes Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG.
  • Christianne Toledo de Souza Leal Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG.
  • Danielle Guedes Andrade Ezequiel Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG.
Palavras-chave: Obesidade, Sobrepeso, Educação em Saúde, Síndrome Metabólica, Equipe de Assistência ao Paciente

Resumo

Introdução: a obesidade é uma doença crônica e complexa de caráter epidêmico, sendo fator de risco para diversas doenças. O município de Juiz de Fora possui uma prevalência maior de obesidade que a da capital do Estado de Minas Gerais e também à média nacional, sendo necessárias estratégias de estímulo às práticas de vida saudáveis, pautadas nas ações educativas em saúde, envolvendo orientação nutricional, prática de atividades físicas, além da abordagem de aspectos biopsicossociais e culturais do indivíduo. Objetivo: desenvolvimento de programa de educação continuada e estímulo ao autocuidado do indivíduo em relação às suas condições de saúde. Relato de experiência: com base nas demandas dos pacientes atendidos nas consultas individuais, grupos operativos e salas de espera, uma cartilha educativa (“Guia de Prevenção – Prevenindo e tratando o excesso de peso”) foi criada pela equipe multidisciplinar do ambulatório de prevenção e tratamento da obesidade de um hospital universitário. Este material foi lançado oficialmente em setembro de 2018 e tem possibilitado a divulgação de vários temas relacionados à obesidade, como diagnóstico, prevenção e mudança do estilo de vida. Os principais beneficiários desse projeto são os pacientes assistidos nos ambulatórios, contudo poderá auxiliar em ações extra-muros, como atividades em escolas públicas municipais e ações pontuais no campus universitário, por exemplo, no Dia Internacional de Combate à Obesidade. Discussão: o material foi bem aceito e as principais dúvidas após a leitura foram em relação à definição de obesidade e o fato de não reconhecerem a fisiopatologia da doença como uma interação de fatores genéticos e ambientais. Conclusão: ações educativas complementares à prevenção e tratamento da obesidade, envolvendo os vários aspectos do cuidado, têm grande aceitação pela população abordada e representam ferramentas com potencial de melhora do autocuidado e autonomia do indivíduo.

Biografia do Autor

Tayná Moreira, Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora
Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG.

Referências

BAGGIO, C. V.; MOTTA, D. G.; NOGUEIRA, M. P. C. Avaliação da eficácia de um instrumento para educação nutricional na prevenção e controle de fatores de risco das doenças crônicas. Anais da Mostra Acadêmica da Universidade Metodista de Piracicaba, São Paulo. p. 6, 2006.

BAUTISTA-CASTAÑO, I.; MOLINA-CABRILLANA, J.; MONTOYA-ALONSO, J. A.; SERRA-MAJEM, L. Variables predictive of adherence to diet and physical activity recommendations in the treatment of obesity and overweight, in a group of spanish subjects. International Journal of Obesity and Related Metabolic Disorders. v. 28, n. 5, p. 697-705, mar. 2004.

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Vigitel Brasil 2016: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2016 / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

GOLDSTEIN, D. J. Beneficial health effects of modest weight loss. International Journal of Obesity and Related Metabolic Disorders, v. 16, n.6, p. 397-415, jun. 1992.

GUIMARAES, N. G. et al . Adesão a um programa de aconselhamento nutricional para adultos com excesso de peso e comorbidades. Revista de Nutrição, v. 23, n. 3, p. 323-333, mai. 2010.

INELMEN, E. M. et al. Predictors of drop-out in overweight and obese outpatients. International Journal of Obesity, v. 29, n. 1, p. 122-128, nov. 2004.

KEARNEY, J. M.; MCELHONE, S. Perceived barriers in trying to eat healthier: results of a pan-EU consumer attitudinal survey. British Journal of Nutrition, v. 81, n. 2, p. 133S-7S, jun. 1999.

MASCARENHAS, N. B.; MELO, C. M. M.; FAGUNDES, N. C. Production of knowledge on health promotion and nurse's practice in Primary Health Care. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 65, n. 6, p. 991-999, nov. 2012.

MIRANDA, L. S. P. Fatores dietéticos de risco e de proteção para condições crônicas de saúde em município da zona da mata de Minas Gerais. 2017. Dissertação (mestrado acadêmico) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Saúde Brasileira, 2017.

MONTEIRO, R. C. A.; RIETHER, P. T. A.; BURINI, R. C. Efeito de um programa misto de intervenção nutricional e exercício físico sobre a composição corporal e os hábitos alimentares de mulheres obesas em climatério. Revista de Nutrição, v. 17, n. 4, p. 479-489, dec. 2004.

PASSAMAI, M. P. B. et al. Letramento funcional em saúde: reflexões e conceitos sobre seu impacto na interação entre usuários, profissionais e sistema de saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 16, p. 301-314, dec. 2011.

POLANCZYK, C. A.; NEVES, J. K.; COSTA, L. A.; LEITA, V. L. P.; DUNCAN, B. B. Obesidade: prevalência, correlação com doenças crônicas e grau de conscientização do problema. Revista AMIRGS, v. 2, p. 87-91, jun. 1990.

RENJILIAN, D. A. et al. Individual versus group therapy for obesity: effects of matching participants to their treatment preferences. Journal of Consulting and Clinical Psychology, v. 69, n. 4, p. 717, aug. 2001.

SANTOS, L. A. S. Educação alimentar e nutricional no contexto da promoção de práticas alimentares saudáveis. Revista de Nutrição., v. 18, n. 5, p. 681-692, sep. 2005.

SINAIKO, A. R.; DONAHUE, R. P.; JACOBS, D. R. J.; PRINEAS, R. J. Relation of weight and rate of increase in weight during childhood and adolescence to body size, blood pressure, fasting insulin, and lipids in young adults: The Minneapolis Children's Blood Pressure Study. Circulation, v. 99, n. 11, p. 1471-1476, mar. 1999.

TARDIDO, A. P.; FALCÃO, M. C. O impacto da modernização na transição nutricional e obesidade. Revista Brasileira de Nutrição Clínica, v. 21, n. 2, p. 117-24, jun. 2006.

WHO. World Health Organization. Obesity and overweight. Fact sheet N°. 311. Updated 2016. Disponível em: http://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/obesity-and- overweight. Acesso em 27 nov. 2018.

Publicado
2019-04-04
Como Citar
Moreira, T., Mendes, P. S., Leal, C. T. de S., & Ezequiel, D. G. A. (2019). Desenvolvimento de material educacional interdisciplinar para prevenção e tratamento da obesidade. HU Revista, 44(2), 277 - 282. https://doi.org/10.34019/1982-8047.2018.v44.13961