Trajectories of an addiction: ethnography of heroin use in Tangier (Morocco)

  • Khalid Mouna Moulay Ismail University, Meknes Morocco
  • Abdellah Essaouidi Hassan II University, Casablanca, Morocco

Resumo

Desde os anos 80, o cenário do uso ilegal de drogas mudou no Marrocos. Isso ocorreu através da introdução de novos medicamentos e novos modos de consumo. A posição geográfica de Marrocos contribuiu ativamente para facilitar o trânsito de cocaína de Sahel; heroína que chega pelos dois enclaves de Sebta e Melilla; e psicotrópicos da Europa ou em trânsito na Argélia. Os anos 2000 foram marcados pela “democratização” de certas drogas, com a chegada maciça de cocaína e heroína em Marrocos, que até então estava reservada a uma clientela mais abastada. Assim, a “kahla / heroína”, introduzida no norte a um preço de cerca de 20 dirhams (2 euros) por grama, gerou um número considerável de usuários de drogas injetáveis. Usando a cidade de Tânger como espaço de trabalho, este artigo tenta entender o processo do vício em heroína e tenta responder às seguintes perguntas: como as pessoas se tornam viciadas? Como é romper o vínculo social? Como eles experimentam a posição de usuário doente?

Biografia do Autor

Khalid Mouna, Moulay Ismail University, Meknes Morocco

Anthropologist Moulay Ismail University, Meknes Morocco

Abdellah Essaouidi, Hassan II University, Casablanca, Morocco

Doctoral Candidate Hassan II University, Casablanca, Morocco

Publicado
2020-11-05