O trabalho do antropólogo urbano no campo da “Memória Ambiental”: levantamento dos desafios e lacunas de pesquisa a partir de estudos de caso

Autores

  • Ana Luiza Carvalho da Rocha
  • Matheus Cervo Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Camila Braz da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

DOI:

https://doi.org/10.34019/2318-101X.2020.v15.29531

Resumo

Um dos maiores desafios contemporâneos postos à Antropologia Visual/da Imagem realizada nas Sociedades Complexas Brasileiras é o trabalho com a questão ambiental. Neste artigo, expomos duas incursões intelectuais realizadas nos últimos três anos na área temática de pesquisa sobre Memória Ambiental. A intenção é demonstrar, a partir de narrativas textuais e imagéticas, a intersecção entre o trabalho visual com a questão ambiental e a Etnografia da Duração realizada no núcleo de pesquisa Banco de Imagens e Efeitos Visuais (Biev) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Primeiramente, abordamos as intenções teóricas que guiam este percurso intelectual para, posteriormente, demonstrar os desafios de encarar o trabalho do antropólogo visual como um trabalho de memória e patrimônio sobre nossos ecossistemas humanos e não humanos nas cidades brasileiras. Concluímos com reflexões sobre a necessidade de interdisciplinaridade entre os saberes Antropológicos e os oriundos das Ciências da Informação tanto por motivos metodológicos de pesquisa quanto pela atuação expandida dos etnógrafos urbanos em instituições diversas.

Biografia do Autor

Camila Braz da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Mestranda em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS/PPGAS) possui graduação em Ciências Sociais pela mesma Universidade. Compõe a equipe técnica e de pesquisa do Banco de Imagens e Efeitos Visuais (BIEV/PPGAS/UFRGS) e do Núcleo de Antropologia Visual (NAVISUAL/PPGAS/UFRGS) coordenados pelas professoras Ana Luiza Carvalho da Rocha e Cornélia Eckert. Atua também no grupo de Pesquisa-Intervenção em Políticas Públicas, Saúde Mental e Cidade (Intervires/PPGPSI/UFRGS) coordenado pela professora Simone Mainieri Paulon. Atualmente está vinculada a dois projetos de pesquisa " Banco de Imagens e Efeitos Visuais (www.biev,ufrgs,br): Etnografia da duração, coleções etnográficas e novas tecnologias - estudo antropológico sobre os lugares da memória nas cidades contemporâneas" (BIEV/PPGAS/UFRGS) e " Experiências urbanas e produção do comum: modos de vida e invenção das cidades em tempos de intolerância"(Intervires/PPGPSI/UFRGS). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana e Antropologia Visual e da Imagem atuando principalmente nos seguintes temas: etnografia da duração, cidade, cotidiano, trajetórias sociais, sociabilidade e memória.

Downloads

Publicado

2020-12-15