Sociologia das crises políticas: a dinâmica das mobilizações multissetoriais

Resumo

O texto trata da resenha do livro Sociologia das crises políticas: a dinâmica das mobilizações multissetoriais de Michel Dobry. Seu principal objetivo é discutir a dinâmica das crises a partir de uma perspectiva relacional. Ao invés de tratá-las como imprevistos ou patologias, Dobry as compreende como elementos comuns e corriqueiros aos contextos rotinizados ou estáveis. O autor não desconsidera o fato de que tais fenômenos possuam aspectos históricos, factuais ou acidentais. Antes, propõe pensar a dinâmica das crises a partir de um esquema teórico que ultrapasse suas singularidades, em prol de revelar suas dinamâmicas características. Entende as crises políticas como fenômenos críticos que se observam nos sistemas sociais complexos e que se tornam inteligíveis em seus traços essenciais desde que pensemos em termos de dessetorização tendencial do espaço social. Procura destacar os aspectos constituintes das crises ressaltando a existência de racionalidades e situaçõesespecíficas que constragem as percepções, os cálculos e as táticas dos atores. Neste sentido, ele desestabiliza nossas presunções teóricas e analíticas ao estudar as crises políticas tornando mais complexo o tema das mobilizações multissetoriais.

Biografia do Autor

Gustavo Paccelli, Universidade Federal de Juiz de Fora - Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais
Doutorando pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Juiz de Fora. Desenvolve pesquisa na área da Sociologia dos Movimentos Sociais e da Ação Coletiva.
Publicado
2019-07-15