Artistas cearenses e circulação da música popular

  • Mariana Barreto Universidade Federal do Ceará
  • Gabriella André Universidade Federal do Ceará

Resumo

Este artigo traz os mais recentes resultados de nossa pesquisa “Artistas cearenses e circulação da cultura popular”, cujo o objetivo primordial é estudar as carreiras dos artistas populares afim de testar a hipótese da existência ou não de recorrências na forma como se estruturam. Tomamos como objeto empírico a carreira dos músicos integrantes de quatro grupos de “vocalistas” formados no Ceará entre os anos de 1940 e 1950: Quatro Ases e Um Coringa, Vocalistas Tropicais, Trio Nagô e Trio Guarani, todos representativos de um tipo de música popular que assumiu diferentes significados ao longo da formação de nossa identidade nacional. Para esta interpretação inicial, priorizamos o estudo das trajetórias destes músicos e de seus grupos observando de que modo o Ceará se insere na questão nacional e realiza sua relação com o popular. Manuseamos os dados empíricos coligidos até o momento sobre os Quatro Ases e Um Coringa e os Vocalistas Tropicais, dois dos mais expressivos conjuntos de intérpretes e instrumentistas da tradição musical popular brasileira.

Biografia do Autor

Mariana Barreto, Universidade Federal do Ceará

Mariana Barreto é mestre e doutora em sociologia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, professora adjunta III do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Ceará - UFC.  

Gabriella André, Universidade Federal do Ceará

Gabriella André é graduanda em ciências sociais pelo mesmo departamento e bolsista de iniciação científica, para o ano de 2018 - 2019, no projeto “Artistas cearenses e circulação da cultura popular”. gabriellaandreufc@gmail.com

Publicado
2018-12-20