Bolsonaro e a cultura do politicamente incorreto na política brasileira

  • Josnei Di Carlo Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
  • João Kamradt Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política (PPGSP) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Resumo

Qual relação o mercado editorial tem com o crescimento de Jair Bolsonaro? Neste artigo, apresentamos uma correlação entre o surgimento, em nossa história recente, de uma cultura específica que difunde valores compartilhados pela nova direita e que ganharam a alcunha de politicamente incorreto e Bolsonaro, que seria seu tradutor ao grande público. Para tanto, demonstramos, de um lado, como a partir de 2009 surge um número cada vez maior de obras com o sintagma politicamente incorreto no título, apresentando manuais sobre os mais diferentes temas (filosofia, história, sexo etc). Ao mesmo tempo que, de outro, há o crescimento da figura política de Bolsonaro, principalmente por meio de sua página no Facebook, no qual passa a publicar conteúdos contra o politicamente correto. Assim, concluímos que as publicações acabaram servindo de fonte, traduzida e ressignificada pelo político, para atingir um público antipetista e insatisfeito com o establishment.

Biografia do Autor

Josnei Di Carlo, Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Bacharel e licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), em 2006, com especialização em Ensino de Sociologia, em 2010, na mesma instituição de ensino superior. Mestre em Ciência Política pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em 2013. Doutor em Sociologia Política (PPGSP) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em 2018. Atualmente, é pesquisador do Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO/UFSC).
João Kamradt, Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política (PPGSP) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Doutorando e mestre em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tem graduação em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo pelo Instituto Educacional Luterano Bom Jesus (IELUSC). É docente nos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Cinema e Design da Unisociesc, em Joinville. Tem se dedicado, na área de teoria política contemporânea, ao estudo da relação existente entre as celebridades políticas, os políticos celebrizados e a representação política no contexto brasileiro. Já trabalhou como repórter do jornal A Notícia (SC). 
Publicado
2018-12-20