O jongo e o samba: discursos de território e identidade na cidade do Rio de Janeiro

Autores

  • Pedro Simonard Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Humanas Departamento de Ciências Sociais
  • Walcler Lima Mendes Jr.

DOI:

https://doi.org/10.34019/2318-101X.2017.v12.12362

Resumo

Esta comunicação investiga a existência de uma possível função pedagógica da canção e dos ritos populares como agentes mediadores das relações “intra” e intergrupos sociais e étnicos sobre aspectos comportamentais de ordem e desordem na cidade. Busca-se constatar como a canção e o rito popular leem e propõem condutas de convivência nos espaços público e privado, produzindo uma pedagogia que tem a capacidade de configurarse como o agente mediador que difunde imaginários de maneira mais e melhor atualizada e aproximada aos acontecimentos cotidianos. Em uma sociedade majoritariamente ágrafa, a palavra falada, cantada, assume um poder simbólico sem paralelos.

Downloads

Publicado

2017-10-02