A formação continuada de professores/as de sociologia da educação básica e os desafios para a pós-graduação stricto sensu

  • Ileizi Luciana Fiorelli Silva Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Humanas Departamento de Ciências Sociais
  • Ângela Maria de Sousa Lima

Resumo

Este artigo reflete a respeito dos desafios para os programas de pós-graduação stricto sensu das áreas de Ciências Sociais\Sociologia diante das demandas de formação continuada de docentes de Sociologia na Educação Básica. Partindo de estudos já realizados a respeito da produção sobre o Ensino de Sociologia, após 1993 (HANDFAS e MAIÇARA, 2012; NEUHOUD, 2014), investiguei quais programas de Ciências Sociais e Sociologia oferecem linhas de pesquisa com essa temática ou mesmo com o termo mais genérico, Educação. O documento do comitê de Sociologiada Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES, referente ao triênio 2010-2012 (CAPES, 2013),contemplou 49 cursos aptos a serem avaliados. Dentre esses cursos, 9 possuem linhas deeducação ou ensino de sociologia. Avaliamos as razões e o que isso significa para a inserção da formação continuada de docentes da Educação Básica nos cursos de pós-graduação stricto sensu de mestrado e doutorado acadêmicos. Apresentamosalguns direcionamentos do documento da CAPES, “Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 2011-2020” de 2010, em que há um reconhecimento de que a Educação Básica deve ser alvo das ações de todas as áreas de conhecimento organizadas nos programas de pós-graduação avaliados pela CAPES. Finalmente, destacamos a criação de cursos de Mestrado Profissional voltados para os\as professores\as da Educação Básica, também na área de Sociologia.
Publicado
2017-10-02