Como se faz um cachorro caçador entre os karitiana (Rondônia)

  • Felipe Ferreira Vander Velden Universidade Federal de São Carlos

Resumo

Os Karitiana (Rondônia) apreciam muito caçar e têm a carne de caça como seu alimento predileto. Várias técnicas de caça são conhecidas, entre elas o uso de cães especialmente treinados para perseguir e matar presas. Há um conjunto de técnicas empregadas para se “fazer” um bom cachorro caçador – e o verbo “fazer”, aqui, evidencia a qualidade artefactual dos animais para os Karitiana, tanto daqueles animais “do mato”, feitos em tempos míticos, como dos animais “de criação” domésticos, feitos na ação humana. Todos os seres parecem ser “feitos” no sentido de serem montados ou construídos, e “feitos” no sentido de fazer desenvolver ou crescer. Tal duplo movimento – bem expresso no duplo sentido do verbo “criar” em português – pode ser encontrado na feitura de bons cachorros caçadores, nos quais estes processos encontram, ainda, um terceiro fator, que é sumarizado pela noção Karitiana de “jeito” (que traduzimos como “modo de ser/estar no mundo”), e que fala das aptidões demonstradas por cada animal na atividade venatória e na maestria das técnicas e práticas de caçar. Com efeito, há cães melhores e cães que “não prestam” para a caça, e tal consideração parece estar diretamente vinculada a avaliações individuais de cada animal, e às escolhas realizadas pelos próprios cachorros quanto a se engajarem na faina de procurar e “matar caça” na companhia dos homens Karitiana. Este trabalho busca, assim, descrever etnograficamente este conjunto de relações entre caçadores humanos e caninos, no seu processo contínuo e delicado de se fazerem predadores de sucesso.

Publicado
2017-02-21