Mercado e Reputações no “Agronegócio” da Soja

  • Luciana Schleder Almeida IFSC/UFRJ

Resumo

O universo rural brasileiro apresenta diversas configurações que hoje estão associadas à ideia de “agronegócio”. Variam os produtos e as regiões, mas as técnicas produtivas continuam sendo consideradas “modernas”. O cultivo da soja destaca-se entre os produtos do “agronegócio” brasileiro, não só pela impressionante produção, mas também por desempenhar um papel estratégico na expansão da “agricultura moderna” sobre “novas áreas”.

O Meio-norte do Mato Grosso foi uma dessas regiões transformadas rapidamente nesse processo a partir dos anos 1970. A floresta parcamente habitada transformou-se num mosaico de lavouras e resquícios de mata, pontuado por novos núcleos urbanos. A soja firmou-se como cultivo hegemônico, conferindo à região notável dinamismo econômico.

Este artigo aborda aspectos relativos às trocas comerciais envolvidas na produção agrícola, especialmente o papel exercido pelas reputações. A proposta desse estudo é compreender essas trocas explorando as pontes entre racionalidade “econômica” e julgamentos morais, afastando-se de uma perspectiva da ruptura ou de duas lógicas incompatíveis. 

Biografia do Autor

Luciana Schleder Almeida, IFSC/UFRJ
Doutoura em Sociologia e Antropologia pelo PPGSA/UFRJ e pesquisadora do Colégio Brasileiro de Altos Estudos
Publicado
2015-12-16