Práticas discursivas, desigualdade de gênero e estratégias de resistência política na experiência de teólogas docentes

  • Neiva Furlin Universidade Federal do Paraná

Resumo

Este artigo, elaborado numa perspectiva sociocultural, foca os seguintes pontos: a) mostra como o discurso teológico,
permeado por determinadas representações de gênero, se constitui no que Foucault chama de prática
discursiva, por produzir realidade social e relações desiguais; b) discute a emergência de “outras vozes”, que
questionam os saberes hegemônicos e produzem novas subjetividades; b) narra as estratégias de resistência
política de mulheres teólogas e docentes que, em meio aos limites dos poderes discursivos e normativos, se
constituem sujeitos de saber. O estudo resulta de pesquisa bibliográfica e de narrativas de mulheres docentes,
cuja reflexão e análise se dão à luz do referencial teórico-analítico de gênero e dos conceitos de poder e subjetividade
presentes nas teorias feministas e foucaultiana.

Biografia do Autor

Neiva Furlin, Universidade Federal do Paraná

Doutora em Sociologia pela UFPR (2014), com doutorado sanduíche pelo Centro de Investigaciones Interdisciplinarias
en Ciencias y Humanidades (CEIICH) da Universidade Nacional Autónoma de México (UNAM) (2012). É membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos de Gênero da UFPR.
 

Publicado
2015-05-29