O nègre marron e as marronagens conceituais na Martinica contemporânea: reflexões sobre a teoria estética do marronismo moderno de René Louise¹

  • Magdalena Sophia Ribeiro de Toledo Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Humanas Departamento de Ciências Sociais

Resumo

Este artigo discute a teoria estética do marronismo moderno criada pelo artista plástico martinicano René Louise, a partir da centralidade do nègre marron em sua obra e especialmente em seu manifesto do marronismo moderno. Na Martinica, os significados atribuídos ao nègre marron associaram-se muitas vezes à demarcação de posicionamentos políticos, sobretudo no período de pós-departamentalização, onde passou a indicar uma postura essencialmente anti-assimilacionista em relação à França, transformando-se em ícone da identidade martinicana para alguns grupos. Assim, inicialmente, buscarei interrogar os significados atribuídos a este personagem na sociedade martinicana e em distintos movimentos literários que contribuíram para conformar o debate em torno da questão da “identidade martinicana”, para em seguida apresentar a teoria estética do marronismo moderno. Por fim, analisarei uma instalação apresentada pelo artista em uma exposição em Paris como um exemplo de materialização plástica dessa teoria estética.

Biografia do Autor

Magdalena Sophia Ribeiro de Toledo, Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Humanas Departamento de Ciências Sociais
marron
Publicado
2014-12-03
Seção
Artigos