Artefatos genealógicos e ancestralidade judaica no Suriname

  • Thiago de Niemeyer Matheus Loureiro Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Humanas Departamento de Ciências Sociais

Resumo

O trabalho buscará analisar as “Stambomen“ - literalmente “árvores genealógicas”- como ponto de partida para uma reflexão acerca da materialidade da ancestralidade e do parentesco nesse contexto etnográfico. Buscarei contemplar desde o processo de pesquisa (onderzoek) em arquivos ou com pessoas mais velhas, até processos de elaboração, “rascunho” e a forma final desses artefatos. Além disso, os próprios judeus guardam objetos e produzem distinções entre o que são ou não “arquivos”, de acordo com a natureza dos objetos e a forma como são organizados. De todo modo, os “documentos” e os “arquivos” (ambos artefatos específicos que buscarei apresentar no trabalho) que os contêm devem ser protegidos, dada a capacidade de determinadas informações de autorizarem ou desautorizarem parentelas ou contestar a judaicidade dos sujeitos. Nesse sentido, as informações contidas nesses artefatos são de certa forma parentesco em “estado bruto”, já que é possível relacionar pessoas que não tenham relação a partir apenas de pesquisa documental (onderzoek).

Biografia do Autor

Thiago de Niemeyer Matheus Loureiro, Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Humanas Departamento de Ciências Sociais
caribe
Publicado
2014-12-03
Seção
Artigos