Horizontes da repetição na aula de língua estrangeira: ontem e hoje

Autores

Palavras-chave:

Repetição, Língua em uso, audiolingualismo, Enfoque Comunicativo, Linguística Cognitiva

Resumo

Este artigo analisa o conceito e os horizontes da repetição na aula de línguas estrangeiras em dois momentos: desde os primórdios do método audiolinguístico até a contemporaneidade, em que enfocaremos os desdobramentos da metodologia comunicativa. Se pouco se conhecia sobre o impacto cognitivo da prática da repetição, comum aos métodos de meados do século XX, com o advento da Linguística Cognitiva nos anos 80, foi possível entrever os horizontes na repetição no que se refere à cognição humana. Esta impacta os mecanismos cognitivos de compreensão do mundo, tais como a categorização, chunking (encadeamento), armazenagem de memória rica, analogia e associação transmodal. O trabalho compara o entendimento da repetição no contexto do método audiolinguístico e seu emprego hoje, dentro da perspectiva da língua-em-uso, em que se compreende que a repetição, como ela é compreendida na contemporaneidade, efetivamente é um elemento central na aprendizagem de línguas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BECKNER, C.; ELLIS, N. C.; BLYTHE, R.; HOLLAND, J.; BYBEE, J.; KE, J.; CHRISTIANSEN, M. H.; LARSENFREEMAN, D.; CROFT, W.; SCHOENEMANN, T. Language is a complex adaptive system: Position paper. Language Learning, 59(s1), 1–26. 2009. Disponível em https://doi.org/10.1111/j.1467-9922.2009.00533.x.

BLOOMFIELD, L. Outline Guide for the Practical Study of Foreign Languages. Baltimore: Linguistic Society of America, 1942.

BROWN, H. D. Principles of Language Learning and Teaching. Englewood Cliffs, NJ: Prentice-Hall, 1980.

BYBEE, J. From usage to grammar: the mind’s response to repetition. Language, v. 82. n. 4, p. 529-551, 2006.

BYBEE, J. Language, Usage and Cognition. New York: Cambridge University Press, 2010.

CASTAGNARO, P. J. Audiolingual Method and Behaviorism: From Misunderstanding to Myth. Applied Linguistics 27/3, pp. 519–526, 2006.

CHOMSKY, N. Aspects of a Theory. Massachusetts: MIT Press, 1964.

CHOMSKY, N. Syntactic Structures. The Hague: Mouton, 1957.

ELLIS, R. The Study of Second Language Acquisition. Oxford: Oxford University Press, 1994.

FRIES, C. C. Teaching and Learnig English as Foreign Language. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 1978/1945.

LANGACKER. R. W. Foundation of Cognitive Grammar (Vol. 1). Theoretical Prerequisites. Stanford: Stanford University Press, 1987.

LARSEN-FREEMAN, D. On the roles of repetition in language teaching and learning. Applied Linguistics Review, v. 3, n. 2, pp. 195-210, 2012. Disponível em https://doi.org/10.1515/applirev-2012-0009.

LIGHTBOWN, P. M.; SPADA, N. How languages are learned. Oxford: Oxford University Press, 1993.

MATOS, S. A cultura pela língua. algumas reflexões sobre pragmática (inter)cultural e ensinoaprendizagem de língua não materna. In: DUARTE, I. M., OLIVEIRA, F. (Eds.), O fascínio da linguagem. Homenagem a Fernanda Irene Fonseca, Porto: FLUP, 2008.

MEI, Y. Comments on the Audiolingual Method. International Journal of Arts and Commerce , v. 7, n. 4, pp. 47-53, 2018.

NUNAN, D. Communicative Tasks and the Language Curriculum. Tesol Quarterly, v. 25, issue 2, pp. 279-295, 1991.

RIVERS, W.M. Psicologia e Ensino de Línguas. São Paulo: Cultrix, 1964.

SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, [1916]1969.

SCHMID, H-J. Understanding the process of entrenchment. In: SCHMID, H-J. The Dynamics of the Linguistic System. Usage, Conventionalization, and Entrenchment. Oxford: Oxford University Press, 2020.

SKINNER, B. F. Verbal Behavior. Englewood Cliffs: Prentice-Hall, 1957.

TAKIMOTO, M. Assessing the effects of identical task repetition and task-type repetition on learners' recognition and production of second language request downgraders. Intercultural Pragmatics, v. 9, n. 1, pp. 71-96, 2012. Disponível em https://doi.org/10.1515/ip-2012-0004.

WEBER, K.; CHRISTIANSEN, M. H.; PETERSSON, K. M.; INDEFREY, P.; HAGOORT, P. fMRI Syntactic and Lexical Repetition Effects Reveal the Initial Stages of Learning a New Language. J Neurosci., v. 36, n. 26, pp. 6872-6880, 2016. Disponível em https://doi.org/10.1523/JNEUROSCI.3180-15.2016

WIDDOWSON, H. G. Teaching Language as Communication. Oxford: Oxford University Press, 1978.

Downloads

Publicado

2023-12-18