Yoga e a Natureza na era do antropoceno

Autores

  • Tulio Toledo UFJF
  • Luana Telles

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2021.v18.36080

Palavras-chave:

Yoga, natureza, Poesia

Resumo

Mais do que uma busca pelos benefícios corporais deste ensinamento de mais de 5 mil anos,  o yoga da Natureza, aqui se apresenta também como uma convocação para uma transformação não apenas física, mas também mental que possa redirecionar nossas práticas de sentido para um novo posicionamento perante o mundo natural e suas alteridades. A autotransformação inevitavelmente também diz respeito as formas de como agimos no mundo. O yoga da natureza evoca um polimento do diamante da mente até que as dualidades sejam fissuradas, onde o reflexo da individualidade isolada possa ser reorientado para uma imersão completa na totalidade da Natureza. Purificar a mente para ressignificar o corpo e sua relacionalidade com o mundo natural. À medida que nos tornamos internamente mais lúcidos, a ideia de que somos meramente uma personalidade humana isolada enfraquece” (FEUERSTEIN, p. 31), esse processo tende a buscar o entendimento do Ser enquanto espécie pertencente a uma existência interdependente. A dualidade humano e Natureza cederia lugar a um entendimento do Ser enquanto partícipe da totalidade do mundo agreste natural. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANTUNES, Paula de Cristina Lourenço Morais Antunes. Fundamentos Filosóficos do Sámkhya e do Yoga. 2019. 342 f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2019.

BOFF, Leonardo. Saber Cuidar: Ética do Humano – Compaixão pela Terra. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

ELIADE, Mircea. Yoga: Imortalidade e Liberdade / Mircea Eliade; tradução Teresa de Barros Velloso. São Paulo: Palas Atena, 1996.

FEUERSTEIN, Georg; FEUERSTEIN, Brenda. Yoga Verde / Georg e Brenda Feuerstein; tradução Claudia Gerpe Duarte – São Paulo: Pensamento, 2010.

GNERRE, Maria Lucia. Identidade e Paradoxos do Yoga no Brasil: Caminho Espiritual, Prática de Relaxamento ou Atividade Física? In: Fronteiras, Dourados, MS, v. 12, n. 21, p. 247-270, jan./jun. 2010.

HADOT, Pierre. O Véu de Ísis: Ensaio sobre a história da ideia de Natureza. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

LOUNDO, Dilip. Meditação como Filosofia Prática: Os Vínculos Estruturais entre Análise Racional (vicara) e Meditação (bhavana) na obra Bhavanakrama de Kamalasila. In: Ciência e Arte na Filosofia e Escola de Kyoto / Florentino Neto, A.; Giacoia Jr, O. (orgs). Campinas: Phi Editora, 2019, p. 243-260.

NONAKA, Álvaro Itie Febrônio. A Questão da Técnica e o Humanismo de Martin Heidegger. In: Primeiros Escritos, São Paulo, n. 9, 2018.

PATÂNJALI. Os Yoga Sutras de Patânjali / tradução Carlos Eduardo Barbosa. São Paulo: Mantra, 2015.

SANTOS, Otávio; LAGE, Allene. Capítulo 21: Yoga e Cuidado de si – por uma Cultura Ecológica, de Paz e Não-Violência. In: O Meio Ambiente Sustentável 2 / organizadoras SILVA-MATOS, Riassa; OLIVEIRA, Analya; MATOS, Samia. Atena Editora, 2020.

______. Epistemologias da Floresta: Ecologia e Modos de Vida Integrados com a Natureza. In: Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Rio Grande, v. 37, n. 3, p. 328-348, mai./ago. 2020.

SITE, Satyananda Yoga Brasil. A Árvore da Vida. Disponível em: https://satyanandayogabr.blogspot.com/2014/05/a-arvore-da-vida.html . Acesso 01 jan 2021 às 19:51.

SCHOLZ, Susanne. Reading Patânjali’s Yoga Sutra like the Bible in Sunday School: About Orientalist and Western Protestant Hermeneutical Assumptions in Contemporary English Translations Of Patânjali’s Yoga Sutra. Disponível em: file:///C:/Users/Admin/Downloads/Article-Reading-Patânjali-Scholz.pdf . Acesso 26 dez 2020 às 20:54.

Downloads

Publicado

2022-01-30

Como Citar

TOLEDO, T.; TELLES, L. Yoga e a Natureza na era do antropoceno. Sacrilegens , [S. l.], v. 18, n. 2, p. p. 63–82, 2022. DOI: 10.34019/2237-6151.2021.v18.36080. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/36080. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Tradições e Religiões Asiáticas