Menadismo Dionisíaco e Natureza

Autores

  • Luana Telles UFJF

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2020.v17.32605

Palavras-chave:

Religião Grega. Dioníso. Mênades. Natureza.

Resumo

O presente trabalho busca se aprofundar na sabedoria dionisíaca por trás da figura de Dioníso Lysios, “o libertador”. Para tanto, vamos discutir a figura de Dioníso associada à natureza na religiosidade grega antiga. Além disso, procura-se captar, neste ensaio, o significado e a intencionalidade das atitudes cultuais, das crenças e dos rituais referentes às suas sacerdotisas, as mênades, e de que forma esta atitude contribui para uma revisitação da nossa pertença à natureza.

Referências

ANDRADE, Clodomir. Religião e Transformações Socioambientais: Religare et Renaturare. In: Caminhos. Goiânia, v.17, n. 3, p. 5-13, jul/dez. 2019.
BARROS, Gilda Naécia. As Bacantes: A Face Humana do Irracional. In: Educação e Linguagem. São Paulo, v.16, n.2, p. 77-98, julho de 2013.
COLLI, Giorgio. A Sabedoria Grega I: Dioníso, Apolo, Elêusis, Orfeu, Museu, Hiperbóreos, Enigma / Giorgio Colli; tradução Renato Ambrósio – São Paulo: Paulus, 2012.
__________. O Nascimento da Filosofia / Giorgio Colli; tradução Frederico Carotti – Campinas: Editora da UNICAMP, 1992.
DETIENNE, Marcel. Dionysos Slain / Marcel Detienne; tradução de Mireille Muellner e Leonard Muellner – Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 1979.
DODDS, E.R. Os Gregos e o Irracional / E.R. Dodds; tradução de Paulo Domenech Oneto – São Paulo: Escuta, 2002.
__________. Eurípides Bacchae: edited with Introduction and Commentary by E. R. Dodds. Reino Unido: Oxford at the Clarendon Press, 1966.
__________. Maenadism in the Bacchae. In: Havard Theological Review. Inglaterra: Oxford University, v. XXXIII, n. 5, 1940.
EURIPIDES. Bakxai / Eurípedes; tradução de ER Dodds – In: Eurípides Bacchae: edited with Introduction and Commentary by E. R. Dodds. Reino Unido: Oxford at the Clarendon Press, 1966.
__________. Bakxai / Eurípedes; tradução Jaa Torrano – In: Bacas. São Paulo: Editora Hucitec, 1995.
HOMERO. Hinos Homéricos. Capítulo 9: Dioníso, deus do vinho e do êxtase místico / tradução, notas e estudo Edvanda Bonavina de Rosa; edição e organização Wilson Alves Ribeiro Jr. – São Paulo: Editora UNESP, 2010.
PAES, Carolina Casarin. O Apolíneo e o Dionisíaco no Pensamento de Nietzsche. https://dialogosliterarios.files.wordpress.com/2013/12/39.pdf
SEAFORD, Richard. Dionysos. Nova York: Editora Routledge, 2006.
SOUSA, Maria de Fátima Silva. Bacantes de Eurípides: Símbolos em Confronto. In: Synthesis. Belo Horizonte, v. 14, p. 11-30, 2007. Disponível em: http://www. memoria.fahce.unlp.edu.ar/art_revistas/pr.407/pr.407.pdf.
VERNANT, Jean-Pierre. Mito e Religião na Grécia Antiga. São Paulo: Martins Fontes, 2009

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

TELLES, L. Menadismo Dionisíaco e Natureza. Sacrilegens , [S. l.], v. 17, n. 2, p. 19–32, 2020. DOI: 10.34019/2237-6151.2020.v17.32605. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/32605. Acesso em: 16 abr. 2021.