Percepção de professores dos problemas de comportamento em duas amostras clínicas com TDAH: Brasil e Espanha

Resumo

Considerando a díade professor-aluno no contexto escolar, a figura desse profissional tem sido estimada na literatura como uma fonte de informação válida na avaliação comportamental do aluno. Trata-se de uma investigação documental do tipo exploratória-descritiva, retrospectiva e transversal, em que se recorreu a análise de prontuários de crianças e adolescentes entre os anos de 2013 e 2014 diagnosticados com TDAH em duas unidades clínicas de psicologia situadas no Brasil e Espanha. Encontraram-se diferenças significativas apenas em duas síndromes: Problemas de Sociabilidade e Problemas de Atenção. A principal contribuição deste estudo foi comparar a percepção de professores residentes em diferentes países, e constatar que, independentemente das diferenças culturais, foram encontrados comportamentos similares nos indivíduos com o diagnóstico de TDAH.

 

Biografia do Autor

Ana Flávia Lima Teles Da Hora, Universidade Federal do Pará
Psicóloga. Doutora e Mestre em Teoria e Pesquisa do Comportamento pela Universidade Federal do Pará (UFPA) com período de Doutorado Sanduíche como bolsista CAPES na Universidad de Murcia e no Hospital Clínico Universitário Virgen de la Arrrixaca - Espanha (2014-2015). Desenvolve trabalhos relacionados às áreas de Psicologia do Desenvolvimento, Transtornos do Neurodesenvolvimento: Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH). Atualmente é professora e pesquisadora na Universidade Ceuma.
Simone Souza da Costa Silva, Universidade Federal do Pará
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Pará (1994), mestrado em Psicologia nesta mesma instituição (2001) e doutorado em Psicologia pela Universidade de Brasília (2006 e pós doutora em Ciências da Reabilitação pela Universidade de Dortmund - Alemanha (2012), . Durante o mestrado, investigou a relação mãe-criança na situação de banho, no doutorado ampliou seu foco e investigou a estrutura e dinâmica das relações familiares em uma comunidade ribeirinha da Amazônia. Atualmente é professora e diretora adjunta do Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento (NTPC/UFPA) onde ocupa o cargo de Diretora Academica da Unidade além de atuar no Programa de Teoria e Pesquisa do Comportamento (PPGTPC) e na faculdade de psicologia. Nos últimos anos desenvolveu pesquisas com famílias ribeirinhas e coordenou grupo de pesquisa que investigou os impactos gerados pelo Programa Bolsa Família (PBF). O interesse por famílias excluídas socialmente como as ribeirinhas e pobres se ampliou com os trabalhos sobre famílias de crianças com alteração de desenvolvimento. Este interesse se expressa na orientação de alunos de pós-graduação. Em termos gerais, seus principais temas de investigação são: desenvolvimento, família, alteração de desenvolvimento, estresse, relações parentais e co-parentais e resiliencia familiar.
Concepción López Soler, Universidad de Murcia (UM) - Espanha

Doutora em Psicologia, e professora titular na Universidade de Múrcia, Espanha. É responsável pela Unidade de Psicologia Infanto-juvenil do Hospital Universitário de Investigação na Infância e Adolescência – Psicologia Clínica (GUIIA-PC) do Departamento de Personalidade, Avaliação e Tratamento Psicológicos da Faculdade de Psicologia da Universidade de Múrcia

Publicado
2019-05-28