As histórias reais da reportagem: modos de endereçamento e as estratégias do telejornal

Autores

Palavras-chave:

Jornalismo de Televisão, Efeitos de Realidade, Modos de Endereçamento, Informalidade, Aproximação com a Audiência

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre as narrativas telejornalísticas e os modos contemporâneos de endereçamento (ELLSWORTH, 2001), orientados pela contínua busca de vinculação e aproximação às suas audiências, a partir da radicalização da oferta de sentidos de real. Com a finalidade de demarcar a autenticidade de seu dizer, o telejornalismo evidencia elementos voltados ao reforço dos sentidos de realidade (GOFFMAN, 2004) e de informalidade, focando na diminuição da distância entre emissor e receptor. Para observar esta dinâmica, analisa-se a reportagem especial Sertão do Nordeste tem desperdício de água em áreas assoladas pela seca, de Chico Regueira e Alberto Fernandes, levada ao ar em 20 de março de 2017, no matutino Bom Dia Brasil, da Rede Globo. Metodologicamente, foram observados padrões de recorrência da estética amadora para marcar a informalidade nas reportagens, a partir do modelo dos operadores proposto por Gomes (2007): 1) o mediador; 2) o contexto comunicativo; 3) o pacto sobre o papel do jornalismo; e a 4) organização temática. Observou-se, fruto do estudo que os novos modos de endereçamento são estratégia de sedução e de vinculação com as audiências, e que estes incorporam na autenticação da narrativa do telejornal, elementos próprios das linguagens digitais (GUTMANN, 2021).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maura Oliveira Martins, Faculdade Tecnológica de Curitiba

Jornalista. Professora na Faculdade Tecnológica de Curitiba. Mestre em Ciências da Comunicação pela UNISINOS e doutora em Ciências da Comunicação pela ECA/USP

Michele Negrini, Universidade Federal de Pelotas

Jornalista; mestre em Comunicação e Informação pela UFRGS; e doutora em Comunicação pela PUC RS. Professora da UFPel.

Fabiana Piccinin, Universidade Federal de Santa Catarina

 Jornalista e Licenciada em Letras. Doutora em Comunicação Social (PUCRS), professora adjunta do Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Referências

ELLSWORTH, E. Modos de Endereçamento: uma coisa de cinema; uma coisa de educação também. In: SILVA, T. T. (org.). Nunca fomos humanos – nos rastros do sujeito. Belo Horizonte: Autêntica, 2001, p. 10-75.

EMERIM, C.; CAVENAGHI, B. Linguagem e convergência: contribuições para o webjornalismo audiovisual. Revista Vozes & Diálogo, Itajaí, n. 2, p. 4-17 jul./dez. 2012. Disponível em: <https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/vd/article/view/4324>. Acesso em: 4 jul. 2018.

GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 2004.

GOMES, I. Questões de método na análise do telejornalismo: premissas, conceitos, operadores de análise. E-Compós, v. 18, n. 1, p. 111-130, jan./abr. 2007. DOI: <https://doi.org/10.30962/ec.126>.

GUTMANN, J. F. Audiovisual em Rede: derivas conceituais. Belo Horizonte: Selo PPGCOM UFMG, 2021.

HAGEN, S. A emoção como complemento à objetividade na imagem dos apresentadores de telejornal. Uma análise do processo de fidelização do telespectador. In: ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 17., 2008, São Bernardo do Campo. Anais [...]. Campinas: Galoá, 2008. Disponível em: Disponível em: <https://proceedings.science/compos-2008/papers/a-emocao-como-complemento-a-objetividade-na-imagem-dos-apresentadores-de-telejornal--uma-analise-do-processo-de-fideliza>. Acesso em: 10 ago. 2021.

KARHAWI, I. Espetacularização do eu e #selfies: um ensaio sobre visibilidade midiática. In: COMUNICON, 2., 2015, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Comunicon, 2015. Disponível em: <http://anais-comunicon2015.espm.br/GTs/GT6/18_GT06_KARHAWI.pdf>. Acesso em: 4 jul. 2018.

LAGE, L. Testemunhos em close-up: o rosto do sofrimento na TV. In: ENCONTRO ANUAL DA COMPÓS, 24., 2015, Brasília. Anais [...]. Campinas: Galoá, 2015. Disponível em: <https://proceedings.science/compos-2015/papers/testemunhos-em-close-up--o-rosto-do-sofrimento-na-tv>. Acesso em: 10 ago. 2021.

MARTINS, M. Novos efeitos de real no jornalismo televisivo: reconfigurações estéticas e narrativas a partir da ubiquidade das máquinas de visibilidade. Covilhã: LabCom, 2017.

NEGRINI, M.; ROOS, R.; ROSSASI, C. WEBTVS: produção e apresentação telejornalística através de novas possibilidades. Advérbio (FAG), v. 11, p. 51-66, 2016. Disponível em: <http://www.adverbio.fag.edu.br/ojs3/index.php/ojs3/article/view/18>. Acesso em: 10 ago. 2021.

PICCININ, F.; MARTINS, M.; NEGRINI, M. Modos de endereçamento e as narrativas do real: o caso de reportagens no Bom Dia Brasil In: EMERIM, C.; COUTINHO, I.; FINGER, C. (orgs.). Epistemologias do telejornalismo brasileiro. Florianópolis: Insular, 2018, p. 339-359. v.7

SILVA, F. M. A conversação como estratégia de construção de programas jornalísticos televisivos. 2010. 294 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura Contemporânea) – Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2010. Disponível em: <http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/5121>. Acesso em: 4 jul. 2018.

SILVA, F. M. Dos telejornais aos programas esportivos: gêneros televisivos e modos de endereçamento. 2005. 207 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Cultura Contemporânea) – Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005. Disponível em: <http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/11300>. Acesso em: 6 jul. 2018.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

MARTINS, M. O. .; NEGRINI, M. .; PICCININ, F. As histórias reais da reportagem: modos de endereçamento e as estratégias do telejornal. Lumina, [S. l.], v. 15, n. 3, p. 202–219, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/21556. Acesso em: 27 jan. 2022.