Estudos do Software (software studies) e a cultura da mobilidade contemporânea

Palavras-chave: Estudos do Software, Mídia Digital, Cultura Digital, Mobilidade, Mídias Locativas

Resumo

O objetivo do presente artigo é analisar os  sentidos conceituais dos processos computacionais e de que forma eles se relacionam e afetam, ou até mesmo constituem novas formas de processos comunicacionais, provocando modificações no âmbito das teorias da comunicação. O texto apresenta questões relacionadas à desterritorialização dos espaços formais das fronteiras físicas da informação e propõe uma reflexão baseada em uma análise das mídias locativas em relação aos pesquisadores que criam suas obras baseadas na Internet a partir da utilização desses sistemas em seus trabalhos. O artigo apresenta a metodologia do Software Studies para analisar quatro projetos de mídias locativas: HiperGps, Walkingtools, HiperGeo e Gun GeoMarker, que abordam questões sobre espaço e tecnologia de georeferenciação por meio de aparelhos celulares, com o objetivo de pensar a territorialidade do acesso à informação digitalizada e suas representações como processos comunicacionais. O artigo especula acerca das questões sobre espaços e territórios, sobre a tecnologia dos servidores móveis que apontam para problemas com os quais os estados terão de lidar no futuro: em que espaço físico ficarão “hospedados” os “dados” de algum projeto ou sistema de informação e qual Estado terá a responsabilidade pela hospedagem, transferência e acesso aos dados?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Brett Stalbaum, Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD)
Prof. Associado no departamento de Humanidades e Ciências Sociais, professor orientador de mestrado e doutorado nos cursos de Design Especulativo e no curso Interdisciplinar de Computação nas Artes.
Jane de Almeida, Arthur C. Clarke Center for Human Imagination, UCSD
Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, pós-doutora em Artes pela Universidade Harvard. Professora e coordenadora do Laboratório de Artes Cinemáticas e Visualização do PPG (mestrado e doutorado) em Educação, Arte e História da Cultura da Universidade Mackenzie.
Cicero da Silva, Arthur C. Clarke Center for Human Imagination, UCSD
Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, pós-doutor em Cultura Contemporânea e Estudos do Software pela UFRJ, sob supervisão de Heloisa Buarque de Hollanda e Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD), sob supervisão de Ted Nelson. Professor e coordenador do NTC de Telessaúde na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Referências

ALMEIDA, J. et. at. 2016. Passages on brazilian scientific cinema. Public Understanding of Science, v.2, https://doi.org/10.1177/0963662516683638 .
ANDERSON, Benedict R. Imagined communities: reflections on the origin and spread of nationalism. New York: Verso, 1991.
AUGÉ, Marc. Não-lugares Introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas: Papirus, 1994.
BARNET, Belinda. The Erasure of Technology in Cultural Critique in Fibreculture Journal. Austrália. V. 09, no. 2, Jul./Dez, 2008. Disponível em: http://journal.fibreculture.org/issue1/issue1_barnet.html . Acessado em 22/04/2018.   
BOLTER, Jay David Bolter, GRUSIN, Richard. Remediation? Understanding New Media. Londres: MIT Press, 2000.  
BRATTON, Benjamin. The Stack. Cambridge: MIT Press, 2016.
BREA, José. La era postmedia. Acción comunicativa, prácticas (post)arísticas y dispositivos neomediales. Salamanca: Editorial Centro de Arte de Salamanca, 2002. Disponível em http://laerapostmedia.net/pedidos/LaEraPostmedia.zip ou http://laerapostmedia.net  . Acessado em 08/05/2018.
BUIANI, Roberta. Marginal Networks: The Virus between Complexity and Suppression in Fibreculture Journal. Austrália. V. 04, no. 3, Jan./Jun, 2006. Disponível em: http://journal.fibreculture.org/issue4/issue4_buiani.html  . Acessado em 11/05/2018.
FULLER, Matthew. Software Studies: a lexicon. Cambridge: MIT Press, 2008.
FLUSSER, Vilém. Towards A Philosophy of Photography. Londres: Reaktion Books, 2000.
KABIBSCH, Eric. Mobile After-media, Cultural Narratives and the Data Imaginary. UC Irvine: Digital Arts and Culture 2009, 2009. Disponível em: http://escholarship.org/uc/item/8nk172kc . Acessado em 12/04/2018.
LANDOW, George. Hypertext 3.0. Baltimore: Johns Hopkins UP, 2006.
MANOVICH, Lev. The Language of New Media. Cambridge: MIT Press, 2001.  
____________. “Estudos do Software” in Perissionotto, Paula & Barreto, Ricardo (Ed.) FILE 2008 000 000. São Paulo: IMESP, 2008, pp. 144-156. Disponível em: http://lab.softwarestudies.com/2008/08/estudos-do-software-por-lev-manovich.html. Acessado em 09/03/2018.
____________. “Efeitos de escala nas novas mídias” in Perissionotto, Paula & Barreto, Ricardo (Ed.) FILE 2008 000 000. São Paulo: IMESP, 2008, pp. 12-22. Disponível em: www.softwarestudies.com.br . Acessado em 11/04/2018.
_____________. “Teoria dos NURBS” in Perissinotto, Paula & Barreto, Ricardo (Ed.) FILE 10. São Paulo: IMESP, 2009, pp. 108-133. Disponível em: http://lab.softwarestudies.com/2009/07/nurbs-theory-teoria-dos-nurbs-file-2009.html. Acessado em 17/04/2018.
NELSON, Ted. Libertando-se da prisão da Internet in FILE Symposium Proceedings 2005, São Paulo, FILE Editorial, 2005. Disponível em http://www.scribd.com/doc/3176215/FILE-SYMPOSIUM-2005 . Acessado em 18/05/2018.
RALEY, Rita. Mobile Media Poetics. UC Irvine: Digital Arts and Culture 2009. Disponível em http://escholarship.org/uc/item/01x5v98g. Acessado em 04/02/2018.
DA SILVA, Cicero Inacio; MANOVICH, Lev. A era da infoestética. Entrevista com Lev Manovich. Revista Lumina. Juiz de Fora. V. 6, no. 01, Mar./Jul., 2012. Disponível em https://lumina.ufjf.emnuvens.com.br/lumina/article/view/232/227 . Acessado em 11/05/2018.
STALBAUM, Brett. Locative media today. Cambridge: Leonardo/MIT Press, 2007.  
WARDRIP-FRUIN, Noah. The New Media Reader. Cambridge: MIT Press, 2003.  
Publicado
2018-12-30
Como Citar
STALBAUM, B.; DE ALMEIDA, J.; DA SILVA, C. Estudos do Software (software studies) e a cultura da mobilidade contemporânea. Lumina, v. 12, n. 3, p. 113-132, 30 dez. 2018.