A perspectiva social das competências midiáticas: reflexões sobre participação e interação das crianças na escola

  • Lyana Thédiga de Miranda
  • Monica Fantin

Resumo

O texto busca refletir sobre o entrelaçamento das competências midiáticas e competências relacionais de crianças em situações de produção audiovisual a partir de propostas didáticas construídas com base na metodologia dos Episódios de Aprendizagem Situados (EAS).Sob uma perspectiva social, nos interessa apresentar como as crianças, um total de 53 alunos de duas escolas públicas de Florianópolis, mobilizaram a empatia e a postura proativa em situações colaborativas consideradas complexas e condicionadas à motivação para a participação. Metodologicamente, seguimos a abordagem multimétodos e da bricolagem que combinou, durante todo o ano letivo de 2015,observação na escola,  intervenção didática, grupo focal com estudantes, caderno de campo e aplicação de um questionário.Entre os resultados, destacamos que a reflexão sobre as competências em uma perspectiva sistêmica e relacional possibilita estabelecer indicadores assertivos, capazes de promover e avaliar fatores constitutivos da interação e competência social entre as crianças na escola. Conclui-se que,ao adotar a metodologia EAS na busca pelo fomento de competências midiáticas sob uma perspectiva social, essa escolha evidencia a necessidade de reestruturação das relações comunicativas entre professores, alunos e ambiente,  o que denota a importância de se promover as competências midiáticas entrelaçadas às competências relacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Clara Sitó et al..Ecolândia nas escolas: jornalismo comunitário e educomunicação na produção radiofônica por alunos do ensino fundamental.Anais do XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, São Paulo, 2015.

AMOR PÉREZ, Maria; DELGADO, Águeda. Da competência digital e audiovisual à competência midiática: dimensões e indicadores. Revista Lumina, Juiz de Fora, v. 11, n, 1, p. 1-21, 2017. Disponível em: https://goo.gl/uh8HbL. Acesso em: 1 jul. 2017.

BATESON, Gregory. Steps to anecology of mind. Library of Congress Cataloging-in-Publication Data, 1977.

BERTHOZ, Alain. La Simplexité. Paris: Odile Jacob, 2009.

BORGES, Gabriela. Competências midiáticas em cenários brasileiros e euroamericanos. Projeto de Pesquisa. CNPq, 2014.

COPE, Bill; KALANTZIS, Mary. Multiliteracies. Literacy andthe design of social futures. Lancaster: Routledge, 2000.

FERRÉS, Joan; PISCITELI, Alejandro. Competência midiática: proposta articulada de dimensões e indicadores. Revista Lumina, Juiz de Fora, v. 9, n, 1, p. 1-16, 2015. Disponível em: https://goo.gl/3EQnc6.Acesso em: 1 jul. 2017.

GUNTHER, Hartmut et al. A abordagem multimétodos em Estudos Pessoa-Ambiente: características, definições e implicações. In PINHEIRO, José; H. GUNTHER, Hartmut (Orgs.), Métodos de pesquisa nos estudos pessoa-ambiente. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008, p. 369-396.

HOOBS, Renee. Create to Learn. Introductionto Digital Literacy. New Jersey: Wiley-Blackwell, 2017

______. Literacy. International Encyclopedia of Communication Theory and Philosophy, p.1-11. New York: Wiley Blackwell, 2016. Disponível em: https://goo.gl/knQIqC Acesso em: 20. Jan. 2017

GOLEMAN, Daniel; SENGE, Peter. O foco triplo. Uma nova abordagem para a educação. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2014.

KINCHELOE, J. Describing the Bricolage: Conceptualizing a New Rigor in Qualitative Research. Qualitative Inquiry, v. 7, n. 6, p. 679-692, 2001.

MARTÍN-BARBERO, Jesus. A comunicação na educação. São Paulo: Contexto, 2014.

MARTINS, Ligia Marta. Da formação humana em Marx à crítica da pedagogia das competências. In. DUARTE, Newton. Crítica ao fetichismo da individualidade. Campinas: Autores Associados, 2004.

MIRANDA, Lyana Virgínia Thédiga. Saberes de ação, interação e comunicação: metodologia ativa e resolução colaborativa de problemas com crianças na escola. Tese (Doutorado), Programa de Pós- Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, 2016.

MIZUKO Ito et. al. Aprendizado Conectado: uma Agenda de Pesquisa e Design. Fundação MacArthur, 2013.

MUCCHIELLI, Alex. L'émergence du sens des situations à traver sles systèmes humains d'interactions. Revue internationale de psychosociologie, v. 13, n.29, p. 163-199, 2007.

PÉREZ GOMEZ, Ángel I. Educação na Era Digital. A escola educativa. Porto Alegre: Penso Editora, 2015.

RIVOLTELLA, Pier Cesare. Fare Didatticacongli EAS.Episodidi Aprendimento Situati. Brescia: La Scuola, 2013.

______. Neurodidattica. Insegnare al cervelloche apprende. Milano: RaffaelloCrtina, 2012.

SACRISTÁN, José Gimeno. (Org.). Educar por competências, ¿ que hay de nuevo? Madrid: Ediciones Morata, 2008.

VAN DER MAREN, Jean-Marie. La recherche appliquée em pédagogie: dês modeles pourl’ enseignement.Bruxelles: Boeck, 2003

Agradecimentos

Agradecemos ao CNPq e à Fapemig pelo financiamento do projeto ‘Competências midiáticas em cenários brasileiros e euroamericanos’ desenvolvido pela Rede Alfamed (Red Interuniversitaria Euroamericana de Investigacão sobre Competências Midiáticas para a cidadania).

Publicado
2018-04-30
Como Citar
THÉDIGA DE MIRANDA, L.; FANTIN, M. A perspectiva social das competências midiáticas: reflexões sobre participação e interação das crianças na escola. Lumina, v. 12, n. 1, p. 55-67, 30 abr. 2018.
Seção
Dossiê: Competência midiática para a cidadania