Luke Cage: A representação da luta de uma comunidade sitiada

  • Orson Soares Programa de Pós Graduação em Diversidade Cultural da Universidade FEEVALE
  • Rosana Vaz Silveira Universidade Feevale
  • Cristiano Max Pereira Pinheiro Universidade Feevale
Palavras-chave: representação, racismo, Luke Cage, sociedade, Harlem

Resumo

Neste artigo aborda-se a representação do personagem Luke Cage, inspirado nos quadrinhos da Marvel e adaptado pela empresa Netflix. Objetiva-se observar a questão racial, considerando a história e o contexto de alguns personagens, como também se apresenta uma reflexão sobre a emancipação política da comunidade negra no Harlem. Nesse sentido, a pesquisa trata da análise das características do herói na trama e suas representações no espaço de uma comunidade sitiada, observado nos primeiros onze episódios. Para tanto, a pesquisa bibliográfica baseia-se no conceito de representação (HALL, 2000; FERRO, 1975), de racismo e emancipação política (FANON, 2010), como também, sobre o gueto (WACQUANT, 2008). Esta abordagem proporcionou uma análise sobre personagens que simbolizam o processo de emancipação de um povo submetido às vicissitudes de uma sociedade racista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Orson Soares, Programa de Pós Graduação em Diversidade Cultural da Universidade FEEVALE

 


Mestrando em Diversidade Cultural pela Universidade Feevale/RS, pós-graduado em História e Cultura Afro-brasileira pela Universidade Cândido Mendes/RJ, graduação em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos/RS. Trabalhou como sócio-educador com menores no Círculo Operário Leopoldense. Professor de história em diversos espaços educativos. Atua junto aos movimentos sociais, entidades do movimento negro realizando formação de professores e prestando assessoria sobre a Lei 10.639/03. É um dos fundadores do Coletivo Fanon para promoção dos estudos afro-asiáticos, como também, combate ao racismo na educação. É pesquisador sobre cultura afro-brasileira, cinema e história, relações étnico-racial, ações afirmativas, diversidade cultural, direitos humanos e educação popular. É ativista cultural, presta serviço de curadoria, é curador do acervo Grande Othelo no Rio Grande do Sul. É palestrante nestas áreas e seu engajamento pode ser visto na sua coletânea de entrevistas: https://www.youtube.com/channel/UCt7JwpDra8wgqdiv-OPlzSQ .

 

Rosana Vaz Silveira, Universidade Feevale
Rosana Vaz Silveira é doutoranda em Processos e Manifestações Culturais pela Universidade Feevale - Novo Hamburgo/RS; mestre em Design pela Universidade Anhembi Morumbi - São Paulo/SP; especialista em Produção de Imagens por Meios Tecnológicos pela Universidade de Caxias do Sul/RS e Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda pela Universidade da Região da Campanha - Bagé/RS. Atualmente é professora do Universidade Feevale em Novo Hamburgo para os cursos de Comunicação e Moda. Coordena o setor de Criação da AGECOM - Agência Experimental de Comunicação. Atuou nas coordenações do MBA em Comunicação Estratégica e Branding e da Pós-Graduação em Comunicação na Moda. É sócia-diretora da agência de marcas PACKBRAND e possui experiência na área de editoração de imagens, identidade visual, embalagem, projeto gráfico editorial e audiovisual. [ro_vsilveira@hotmail.com rosanavaz@feevale.br]
Cristiano Max Pereira Pinheiro, Universidade Feevale
formado em Publicidade e Propaganda pela PUCRS (1999), Meste em Comunicação Social, também pela PUCRS (2002) com a dissertação "Imagem Analógica, Digital e o Imaginário, e o Doutor em Comunicação Social, pela mesma universidade, com a tese "Apontamentos para uma aproximação entre jogos digitais e comunicação". Foi Coordenador dos Cursos de Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propagada de 2007 a 2014, é Professor do Mestrado de Indústria Criativa da Universidade FEEVALE em Novo Hamburgo/RS. Articulador do Setor de Economia Criativa, participa de grupos de desenvolvimento de políticas articuladas com o Governo Federal, esteve na Missão Brasil/Espanha/Inglaterra de Produção de Conteúdos Digitais. É sócio-diretor da desenvolvedora de jogos, Ludema Game Studio. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Novas Tecnologias, atuando principalmente nos seguintes temas: games, comunicação, criação publicitária, ludologia, narrativa e cibercultura. Professor do Mestrado de Indústria Criativa da Universidade Feevale.

Referências

CAMPBELL, Joseph. O Poder do Mito. São Paulo: Palas Athena,1988.

FANON, Frantz.Violência.In: ______.Os Condenados da Terra. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2010, p.49-126.

FERRO, Marc. Cinema e História. São Paulo: Paz e Terra, 1975.

______. O Filme - Uma contra-análise da sociedade? In: NORA, Pierre (org.). História: novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

FORD, Clyde W. As vozes dos ancestrais. In: ______.O Herói com Rosto Africano. Mitos da África: São Paulo, 1999. p. 46-69.

______. O herói com rosto africano. In: ______.O Herói com Rosto Africano. Mitos da África: São Paulo, 1999. p. 27-45.

HALL, Stuart. The work of representation. In:HALL, Stuart (Org.) Representation.Cultural representation and cultural signifying practices. London: Thousand Oaks; New Delhi: Sage/Open University, 1997. p.1-60.

LOPES, Romildo Sergio. O discurso americano para as minorias raciais: o negro e as representações sociais de raça nas Histórias em Quadrinhos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES DA COMUNICAÇÃO, 34, Recife, 2011. São Paulo: Intercom, 2011. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2017.

MBEMBE, Achille. Crítica da Razão Negra. Lisboa: Antígona, 2014.

PAC, Robert. Estados Unidos um sonho inacabado: A longa marcha dos afro-americanos. In: PERRAULT, Gilles (Org.). O livro Negro do Capitalismo. 3.ed. Rio de Janeiro: Record, 2000. p. 336-362.

REVISTA ÉPOCA. Série Luke Cage encara um inimigo incômodo da sociedade: a tensão racial. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2018.

VALENCIA, Sayak. El Capitalismo Gore. Barcelona: Editorial Melusina, 2010.

WACQUANT, Loïc. As Duas Faces do Gueto. In: ______.As Duas Faces do Gueto. São Paulo: Boitempo, 2008. p. 74-91.

______. Uma cidade negra dentro da branca. In: ______.As Duas Faces do Gueto. São Paulo: Boitempo, 2008. p. 61-73.

WESCHENFELDER, G. V. Os Negros nas Histórias em Quadrinhos de Super-heróis.Revista Identidade!. São Leopoldo, v.18 n.1, p.67-89, jan.-jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2017.
Publicado
2018-04-30
Como Citar
SOARES, O.; SILVEIRA, R. V.; PINHEIRO, C. M. P. Luke Cage: A representação da luta de uma comunidade sitiada. Lumina, v. 12, n. 1, p. 201-215, 30 abr. 2018.