Mulheres e crianças nas salas de cinema no início do século XX: uma análise sobre os públicos nos espaços de projeção em Portugal

  • Juliana de Mello Moraes Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Palavras-chave: cinema, públicos, mulheres, Portugal

Resumo

O convívio e as interações entre os frequentadores das salas de cinema, no início do século XX, suscitaram múltiplos discursos expressos nos periódicos da época. A partir dessa documentação avalia-se as práticas culturais, as sociabilidades e, ainda, alguns significados atribuídos as salas de cinema pelos contemporâneos, em especial entre os moradores das menores cidades. Embora subsista a impossibilidade de captar todas as discussões ou controvérsias geradas pelo espectáculo cinematográfico em Portugal durante as suas primeiras décadas e, principalmente, os seus efeitos sobre os públicos, é possível perscrutar, no entanto, os seus sentidos mais evidentes. É importante sublinhar que esses discursos focavam sobretudo os efeitos do cinema e seus espaços de exibição sobre as mulheres e as crianças, indicando, paralelamente, o papel desempenhado por esses grupos na conformação da nova mídia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana de Mello Moraes, Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Professora do quadro permanente da Universidade Regional de Blumenau (FURB). Possui graduação (2000) e mestrado (2003) em História pela Universidade Federal do Paraná e doutorado (2010) em História pela Universidade do Minho, Portugal. Realizou estágio pós-doutoral (2014) na Universidade de Lisboa, com bolsa da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT-Portugal). 

Referências

CORBIN, Alain. História dos tempos livres. Lisboa: Teorema, 2011.
HOBSBAWM, Eric. A era do capital. 1848-1875. Lisboa: Editorial Presença, 1975.
JUAN, Myriam; TREBUIL, Christophe. Deux ou trois choses que nous savons d’eux: publics de cinéma, Conserveries mémorielles, n. 12, 2012. Disponível em: < http://cm.revues.org/1262> Acesso em 10 de abr. 2013.
LEFCOURT, Jenny. Aller au cinéma, aller au peuple. Revue d´Histoire Modern et Contemporaine, 51-4, 2004, p. 98-114.
PASSERINI, Luisa. Mulheres, consumo e cultura de massas. In: DUBY, Georges; PERROT, Michelle. História das mulheres. O século XX. Lisboa: Edições Afrontamento, 1995, p. 386-388.
PEARSON, R. E.; URICCHIO, W.. The formative and impressionable stage: discursive constructions of nickelodeon´s child audience. In: MALTBY, R.; STOKES, M. (eds.), American Movie Audiences from the turn of century to the early sound era. Londres: The British Film Institute, 1999, p. 64-75.
PINTO, Jorge Ricardo. A expansão (sub)urbana no Porto romântico. O caso da freguesia do Bonfim. Percursos & Ideais, 4, 2012, p. 3-20.
RAMOS, Rui. A segunda fundação (1890-1926). In: MATTOSO, José (dir.). História de Portugal. vol. 6. Lisboa: Editorial Estampa, 1998, p. 21 e 36.
SANTOS, A. V. Para a História do Cinema em Portugal. Lisboa: Cinemateca Portuguesa, 1991.
Publicado
2019-08-30
Como Citar
MORAES, J. DE M. Mulheres e crianças nas salas de cinema no início do século XX: uma análise sobre os públicos nos espaços de projeção em Portugal. Lumina, v. 13, n. 2, p. 175-192, 30 ago. 2019.