A imagética de Domício Pinheiro para o futebol: técnicas de composição preferenciais de um imaginário esportivo

  • Eliza Bachega Casadei
  • Kelly De Conti Rodrigues
  • Carlos Alberto Garcia Biernath
Palavras-chave: Fotojornalismo, Futebol, Domício Pinheiro, Composição.

Resumo

A obra do fotojornalista Domício Pinheiro está localizada em período de transição na cobertura de esportes no Brasil, em que uma série de modificações tecnológicas e simbólicas consolidava-se (tanto em relação ao esporte quanto em relação à própria fotografia). Tais modificações materializaram-se na adoção de técnicas de composição específicas para a imagem. O objetivo do presente artigo é, justamente, estudar a fotografia de Domício Pinheiro, a partir do desvelamento dos processos de composição que ele utilizava para criar sentido em suas imagens. Nós analisaremos em detalhes essas técnicas composicionais que marcaram o trabalho do fotojornalista, bem como o modo os efeitos de sentido articulados a elas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliza Bachega Casadei
Doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) e professora da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (FAAC-UNESP). Mestre em Ciências da Comunicação e bacharel em jornalismo pela ECA-USP.
Kelly De Conti Rodrigues
Aluna do programa de pós-graduação em Comunicação Midiática da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP. Graduada em Comunicação Social – Hab. em Jornalismo pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP). Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).
Carlos Alberto Garcia Biernath
Aluno do programa de pós-graduação em Comunicação Midiática da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP). Graduado em Comunicação Social – Hab. em Jornalismo pela Universidade Sagrado Coração (USC). Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). E-mail: beto.biernath@gmail.

Referências

AUMONT, Jacques. A Imagem. Campinas: Papirus, 2003.
BARTHES, Roland. Lo obvio y lo obtuso: imágenes, gestos, voces. Buenos Aires: Paidós, 1986.
BARTHES, Roland. S/Z. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.
CORDEIRO, Maria Fernanda; BONI, Paulo Cesar. Fotojornalismo esportivo: a influência da televisão na imagem impressa. Discursos Fotográficos, v.1, n.1, Londrina, 2005, p. 141-166.
DUCROT, Oswald. Princípios da Semântica Linguística (dizer e não dizer). São Paulo: Cultrix, 1972.
MACHADO, Arlindo. A Ilusão Especular. São Paulo: Brasiliense, 1984.
MASCELLI, Joseph V. Os Cinco Cs da Cinematografia. São Paulo: Summus, 2010.
PRÄKEL, David. Composição. Porto Alegre: Bookman, 2013.
SOUSA, Jorge Pedro. Fotojornalismo:introdução à história, às técnicas e à linguagem da fotografia na imprensa. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2004.
VIEIRA, E. D. R.; MANSUR, S. S. Fotografia em mecânica dos fluidos. In: ____; _____; SILVEIRA NETO, A. (Orgs.). Turbulência. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Ciências e Engenharia Mecânicas – ABCM, 2010.
Publicado
2015-12-01
Como Citar
CASADEI, E. B.; RODRIGUES, K. D. C.; BIERNATH, C. A. G. A imagética de Domício Pinheiro para o futebol: técnicas de composição preferenciais de um imaginário esportivo. Lumina, v. 9, n. 2, 1 dez. 2015.