Matérias televisivas temáticas como gêneros textuais: uma proposta de análise sociorretórica

Autores

  • Marcel Henrique Angelo Universidade Federal de Viçosa http://orcid.org/0000-0002-6980-4571
  • Marta Cristina da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora

Palavras-chave:

telejornalismo, matéria televisiva, gêneros textuais, sociorretórica, escrita

Resumo

Recorte de uma pesquisa mais ampla, que visa ao mapeamento dos gêneros textuais utilizados por repórteres, o presente trabalho tem como objetivo analisar a produção escrita do gênero matéria televisiva e sua subcategoria temática, no que diz respeito a sua organização retórico-estrutural. Para tanto, promovemos uma articulação entre, por um lado, o arcabouço conceitual proveniente da análise sociorretórica de gêneros, e, por outro, o repertório técnico-teórico oriundo de estudos do telejornalismo. Em busca de recorrências e padrões de utilização da linguagem, examinamos um corpus de 37 textos, o que subsidiou a elaboração de um modelo descritivo fundamentado na noção de sequência explicativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcel Henrique Angelo, Universidade Federal de Viçosa

Doutor em Linguística pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

Marta Cristina da Silva, Universidade Federal de Juiz de Fora

Professora Associada do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas na Universidade Federal de Juiz de Fora.

Referências

ADAM, Jean-Michel. A lingüística textual: introdução à análise textual dos discursos. São Paulo: Cortez, 2008.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2000, p. 279-326.

BEAUGRANDE, Robert-Alain de; DRESSLER, Ulrich Wolfgang.
Introducción a la lingüística del texto. Barcelona: Editorial Ariel, 1997.

BHATIA, V.K. Analysing genre: language use in professional settings.
New York: Longman, 1993. P.13-41

BONINI, Adair. Gêneros textuais e cognição: um estudo sobre a organização cognitiva da identidade dos textos. Florianópolis: Insular, 2002.

BONINI, Adair. Os gêneros do jornal: o que aponta a literatura da área de comunicação no Brasil? Linguagem em (Dis)curso. Tubarão: v. 4, n. 1, p. 205-231, jul./dez.2003.

BONINI, Adair. The Distinction Between News and Reportage in the Brazilian Journalistic Context: A Matter of Degree. In: BAZERMAN, C., BONINI, A. & FIGUEIREDO, D. (org.) Genre in a changing world. Fort Collins, Colorado: The WAC Clearinghouse, 2009. Extraído de http://wac.colostate.edu/books/genre/genre.pdf em 5 de dezembro de 2011.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de Linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. 2 ed. São Paulo: EDUC, 2007.

COUTINHO, Iluska. Dramaturgia do telejornalismo brasileiro: a estrutura narrativa das notícias em televisão. Tese de doutorado. Universidade Metodista de São Paulo. Pós-graduação em Comunicação Social, 2003.

DINES, Alberto. O papel do jornal: uma releitura. 5.ed São Paulo: Summus Editorial, 1986.

FECHINE, Yvana; LIMA, Luiza A. Por uma sintaxe do telejornal: uma proposta de ensino. Revista Galáxia. São Paulo: n. 18, dez.2009.

HANKE, Michael. Narrativas orais: formas e funções. Contracampo. Rio de Janeiro, v. 7, p. 117-126, 2003.

LAGE, Nilson. Ideologia e técnica da notícia. Florianópolis (SC): Insular, 2001a.

LAGE, Nilson. Reportagem: teoria e técnica da entrevista e pesquisa jornalística. Rio de Janeiro: Record, 2001b.

LANG, Annie et al. The effects of chronological presentation of information on processing and memory for broadcast news. Journal of Broadcasting & Eletronic Media, V. 33, n. 4, 1989. Extraído de http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/08838158909364093, em 20 de agosto de 2009.

MACHILL, Marcel; KÖHLER, Sebastian; WALDHAUSER, Markus. The use of narrative structures in television news. An experiment in innovative forms of journalistic presentation. European Journal of Communication. V. 22, Nº 2, SAGE, 2007.

MARCUSCHI, Luiz A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. 3ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MARQUES DE MELO, José. Jornalismo opinativo: gêneros opinativos no jornalismo brasileiro. 3ª.ed. São Paulo: Mantiqueira, 2003.

MILLER, Carolyn. Genre as social action. Quarterly Journal of Speech. V. 70, 1984.

MILLER, Carolyn. Rhetorical community: The cultural basis of genre. In: FREEDMAN, A.; MEDWAY, P. (org.): Genre and the new rhetoric. London: Taylor & Francis, 1994.

MONTGOMERY, Martin. The Discourse of Broadcast News. New York: Routledge, 2008. P.1-116.

REZENDE, Guilherme Jorge. Telejornalismo no Brasil: um perfil editorial. São Paulo: Sumus, 2000.

SWALES, John. Genre Analysis: English in academic and research settings. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

SWALES, John. Other Floors, Other Voices: a textography of a small university building. London: Lawrence Erlbaum, 1998.

SWALES, John. Sobre modelos de análise do discurso. In: BIASI-RODRIGUES, B., ARAÚJO, J., SOUSA, A. (orgs). Gêneros textuais e comunidades discursivas: um diálogo com John Swales. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

TEMER, Ana Carolina R. P. A mistura dos gêneros e o futuro do telejornal. In: VIZEU, Alfredo; PORCELO, Flávio; COUTINHO, Iluska. 60 anos de telejornalismo no Brasil: história, análise e crítica. Florianópolis: Insular, 2010.

TEMER, Ana Carolina R. P. Reflexões sobre a tipologia do material jornalístico: o jornalismo e as notícias. In: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. São Paulo: v.30, n.1, p.49-71, jan/jun 2007.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2015-06-30

Como Citar

ANGELO, M. H.; DA SILVA, M. C. Matérias televisivas temáticas como gêneros textuais: uma proposta de análise sociorretórica. Lumina, [S. l.], v. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/21152. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos