O impacto de mídias sociais sobre as práticas museológicas

Autores

  • Lynda Kelly

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2010.v4.20920

Palavras-chave:

museus, mídias sociais, comunicação

Resumo

As exigências da “era da informação” têm levantado novas questões para os museus. Argumenta-se que os museus precisam deixar de ser fornecedores de informações e prover um conhecimento e ferramentas úteis para os visitantes explorarem suas próprias idéias e chegarem às suas próprias conclusões (Bradburne, 1998; Hein, 1997), o que é especialmente relevante hoje com o aumento do acesso a tecnologias, como a internet, que “puseram o poder da comunicação, da informação, da coleta e análise nas mãos dos indivíduos do mundo” (Freedman, 2000, p. 299). Afirmou-se também que os museus devem se tornar mediadores da informação e do conhecimento para uma gama de usuários acessarem em seus termos, através de suas próprias escolhas, e dentro de seu próprio tempo e lugar. Este artigo explora o impacto dos meios de comunicação social sobre os museus, utilizando três áreas da prática museológica como exemplos: aprendizagem, desenvolvimento de exposições e mudança organizacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-12-06

Como Citar

KELLY, L. O impacto de mídias sociais sobre as práticas museológicas. Lumina, [S. l.], v. 4, n. 2, 2010. DOI: 10.34019/1981-4070.2010.v4.20920. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/20920. Acesso em: 24 jul. 2021.

Edição

Seção

Artigos Internacionais