Violência e desigualdades de gênero: relato de experiência sobre ações desenvolvidas e resultados alcançados durante o mês da mulher em um hospital universitário

Autores

  • Alessandra Soares Muniz Gomes Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares https://orcid.org/0009-0007-0014-3166
  • Patrícia de Oliveira Lima Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares https://orcid.org/0000-0002-2163-3048
  • Luciana de Sousa Santos Costa Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares https://orcid.org/0000-0001-6014-8873

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2023.v49.42408

Palavras-chave:

Saúde da Mulher, Violência contra a Mulher, Sistema Único de Saúde, Equidade

Resumo

Introdução: O 8 de março, Dia Internacional da Mulher, é uma data mundialmente lembrada como momento oportuno de reflexão e discussão sobre inúmeras desigualdades ainda vivenciadas pelas mulheres, que impactam a saúde dessa parcela da população. Objetivo: Apresentar ações desenvolvidas por um grupo de trabalho multiprofissional de um hospital universitário e os resultados alcançados. Relato de Experiência: Desde 2022, o hospital institucionalizou a comemoração do 8 de março, como uma data para ações e atividades informativas, orientativas e de acolhimento junto a colaboradores e usuários. Em 2023, foram escolhidos dois temas centrais para discussão: Trabalho/Família e Violência contra a Mulher. Dessa forma, foram promovidas rodas de conversa com trabalhadores em visita aos setores e salas de espera com usuários, norteadas por materiais didáticos confeccionados sobre os dois temas. Também houve panfletagem e apresentação musical no dia 8 de março, além de capacitação oferecida aos profissionais de saúde da instituição, abordando a relação entre corpo feminino e peculiaridades no atendimento à saúde. Conclusão: Durante as ações desenvolvidas, as mulheres puderam expressar suas realidades e rotinas, conhecer dados que comprovam desigualdades e leis que garantem direitos. Pode-se destacar, como resultado alcançado, a discussão das questões históricas e culturais de menosprezo à mulher como responsáveis por iniquidades, com prejuízos à saúde física e mental feminina. É dever de toda a sociedade combater a violência doméstica/familiar, incluindo como aliadas nessa batalha as instituições de saúde e educação integrantes do Sistema Único de Saúde (SUS).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Gomes ASM. Meios de comunicação e sub-representação [Dissertação]. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora; 2014.

Organização das Nações Unidas. Objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) [Internet]. Brasília: ONU; ©2023 [citado em 2023 jan. 22]. Disponível em: https://brasil.un.org/pt-br/sdgs.

Ministério da Saúde (BR). Sistema Único de Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; [202-] [citado em 2023 jun. 23]. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/s/sus.

Brasil. Lei n° 11.340, de 7 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos do § 8° do art. 226 da Constituição Federal, da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Descriminação contra as Mulheres e da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher; dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; altera o Código de Processo Penal, o Código Penal e a Lei de Execução Penal; e dá outras providências. 2006 [citado em 2023 jun. 13]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm.

Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (BR). Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora. Portaria-SEI n° 75/2023, de 06 de fevereiro de 2023. Juiz de Fora: Ebserh; 2023.

Bourdieu P. A dominação masculina. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; 2005.

Matos M, Cortês I. Mais mulheres no poder: contribuição à formação política das mulheres. Brasília: Secretaria de Políticas para as Mulheres; 2010.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (BR). Estatísticas de gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil [Internet]. Estudos e Pesquisas: Informação Demográfica e Socioeconômica. 2021; 38:1-12 [citado em 2023 jun. 9]. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101784_informativo.pdf

Martins L. Mulheres na política ainda são minoria [Internet]. Último Segundo. 2023 [citado em 2023 jul. 23]. Disponível em: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2023-03-08/mulheres-na-politica-ainda-sao-minoria.html.

Fórum Brasileiro de Segurança Pública (BR). Anuário brasileiro de segurança pública 2022 [Internet]. Fórum Brasileiro de Segurança Pública. 2022; 16:14-513 [citado em 2023 jul. 7]. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2022/06/anuario-2022.pdf?v=15.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (BR). Atlas da Violência 2021 [Internet]. Brasília: Ipea; 2021 [citado em 2023 jun. 9]. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/arquivos/artigos/5141-atlasdaviolencia2021completo.pdf.

Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Violência contra meninas e mulheres no 1º semestre de 2022 [Internet]. Fórum Brasileiro de Segurança Pública. 2022; 2-14 [citado em 2023 jul. 19]. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2022/12/violencia-contra-meninas-mulheres-2022-1sem.pdf?v=v2.

Beauvoir S. O segundo sexo. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 2009.

World Economic Forum. Committed to Improving the State of the World. Global Gender Gap Report 2020 [Internet]. Cologny: Geneva: World Economic Forum; 2020 [citado em 2023 jan. 13]. Disponível em: https://www.weforum.org/reports/gender-gap-2020-report-100-years-pay-equality/.

Fernandes MPM. STJ Cidadão 256: a vida de Maria da Penha [Internet]. Brasília: Superior Tribunal de Justiça; 2014 [citado em 2023 ago. 24]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=GBU-nJNlnd0.

Downloads

Publicado

2024-01-29

Como Citar

1.
Soares Muniz Gomes A, de Oliveira Lima P, de Sousa Santos Costa L. Violência e desigualdades de gênero: relato de experiência sobre ações desenvolvidas e resultados alcançados durante o mês da mulher em um hospital universitário. HU Rev [Internet]. 29º de janeiro de 2024 [citado 20º de julho de 2024];49:1-7. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/42408

Edição

Seção

Relato de Experiência

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)