“A gente filma com o espírito”

estratégias para colocar o olhar guarani dentro da câmera

Autores

Palavras-chave:

ASCURI, cineastas indígenas, guaranização

Resumo

Neste texto propomos uma análise do curta-metragem Teko Marangatu, que corresponde ao primeiro episódio da websérie Nativas Narrativas: Mirando mundos possíveis, produzido pela Associação Cultural de Realizadores Indígenas (ASCURI) de Mato Grosso do Sul, em 2020, durante o período de isolamento social, decorrente da pandemia de Covid-19. Ao analisarmos este curta-metragem nos interessa investigar as estratégias desenvolvidas pela ASCURI para guaranizar a tecnologia do cinema, para construir alianças com essa tecnologia, que passa a atuar, no período da pandemia, como uma das estratégias de enfrentamento à doença. Bem como nos interessa investigar quais são as imagens de si que esses povos escolheram veicular em sua autorrepresentação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Claudia Gorges, UTFPR

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e mestrado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Possui especialização em Antropologia Cultural pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC) e especialização em Cinema com ênfase em produção pela Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR). É doutora em Tecnologia e Sociedade pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), na linha de pesquisa Mediações e Cultura. Professora de Filosofia da SEED- PR.

Eliel Benites, Universidade Federal da Grande Dourados

Possui graduação em Licenciatura Indígena, Teko Arandu, pela Universidade Federal da Grande Dourados (2011), Mestrado em Educação pela Universidade Católica Dom Bosco (2014) e Doutorado em Geografia pela Universidade Federal da Grande Dourados (2021). É professor auxiliar na Faculdade Intercultural Indígena FAIND/UFGD. Tem experiência na formação de professores indígenas Guarani e Kaiowá, com ênfase em Ensino de Ciencias da Natureza, atuando principalmente nos seguintes temas: Guarani e Kaiowá, Educação Escolar indígena, cosmologias e cinema Guarani e Kaiowá. Faz parte do Movimento dos Professores Guarani e Kaiowá/MS (MPGK) e membro da Associação de Realizadores Indígenas (ASCURI).

Referências

A BUSCA DO TEKO AEAGUYJE (JEITO SAGRADO DE SER) NAS RETOMADAS TERRITORIAIS GUARANI. Defesa de tese, 5’36’’39’’’, 2021. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=FFTqFhI-Qbs&t=17272s>. Acesso em: 20 mar. 2022.

AULA INAUGURAL DO MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DAS POPULAÇÕES NEGRAS E INDÍGENAS, 1’53’’30’’’, 2021. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ql7q6AEr6tE&t=3604s>. Acesso em: 20 mar. 2022.

ARTE PELA PROTEÇÃO DOS POVOS INDÍGENAS. Festival Mba’e Porã, 35’30’’, 2020. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=eudZ-pq2lCY&t=690s>. Acesso em: 20 mar. 2022.

ASCURI. Disponível em: < https://ascuri.org/ >. Acesso em: 20 mar. 2022.

BENITES, Eliel. OGUATA PYAHU (Uma nova caminhada) no processo de desconstrução e construção da educação escolar indígena da reserva indígena Te’ýikue. 165f. Dissertação (Educação), UCDB, 2014.

CHAMORRO, Graciela. Pa’i Chiquito - Símbolo da resistência kaiowá ao indigenismo oficial. In. Os Brasis e suas memórias. Disponível em:

<https://osbrasisesuasmemorias.com.br/biografia-pai-chiquito/>. Acesso em: 20 mar. 2022.

CINE DEBATE EX-PAJÉ, 2020. Disponível em: . Acesso em: 20 mai. 2022.

CINE DEBATE – NATIVAS NARRATIVAS, ASCURI, 3’19’’32’’’, 2021. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=sYzdLEhdjhs&t=9052s>. Acesso em: 20 mar. 2022.

CINEMA DE TODAS AS TELAS, Live Cineop com Ailton Krenak, Debate Inaugural, 1’43’’16’’, 2021. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=XopeEBo6EIo>. Acesso em: 13 mar. 2022.

CINEMA INDÍGENA, Rádio Yandê, Abril Indígena, 1’46’’48’’’, 2020. Disponível em: <https://www.facebook.com/watch/live/?ref=watch_permalink&v=548840472438917>. Acesso em: 20 out. 2021.

CINEMA INDÍGENA COM GILMAR KIRIPUKU, Museu do índio – UFU, 2020. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=n_ZCKk5Buxk>. Acesso em: 20 mar. 2022.

Entre algumas outras tecnologias: o desafio de reafirmar a ancestralidade para transformar a contemporaneidade rumo ao bem viver. Disponível em:

< https://entretecnologias.taina.net.br/>. Acesso em: 20 mar. 2022.

ESBELL, Jaider. O’ma’kon – Bicharada – Reunião de bichos. In. Moquém_Surarî: a arte indígena contemporânea. São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2021.

GALACHE, Gilmar. KOXUNAKOTI ITUKEOVO YOKO KIXOVOKU – Fortalecimento do jeito de ser Terena: o audiovisual com autonomia. 123f. Dissertação (Sustentabilidade junto a Povos e Territórios Tradicionais), UNB, 2017.

Instituto Socioambiental. Povos indígenas no Brasil (ISA). Disponível em: <http://pib.socioambiental.org/pt>. Acesso em: 20 mar. 2022.

JESUS, Naine Terena de. A hora da grande caçada. In. Moquém_Surarî: a arte indígena contemporânea. São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2021.

______________________. Lentes ativistas e a arte indígena. Revista Zum, 2019. Disponível em: <https://revistazum.com.br/radar/arte-indigena/>. Acesso em: 20 mar. 2022.

LAGROU, Els. Arte indígena no Brasil: agência, alteridade e relação. Belo Horizonte, C/Arte, 2009.

LIVE COM ASCURI. I Mostra CineFlecha, 2020. Disponível em: <https://redecineflecha.org/mostra/>. Acesso em: 20 jan. 2022.

LIVE MOSTRA CINEFLECHA: Cine Indígena Boliviano, 1’29’’08’’’, 2021. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=44KkHWrehqw>. Acesso em: 20 mar. 2022.

MOKÕI KOVOÉ. Direção: ASCURI. Produção: ASCURI. Duração: 17’13’’. Ano: 2021

Disponível em:

<https://www.youtube.com/watch?v=RxJH85lBpbUhttps://www.youtube.com/watch?v=kQ70HCNAO1s>. Acesso em: 20 mar. 2022.

OUTROS CINEMAS AMERÍNDIOS: novos olhares sobre a produção audiovisual indígena, 1’20’’05’’’, 2020. Disponível em:

<https://www.youtube.com/watch?v=GdOhhz6Ivww>. Acesso em: 20 mar. 2022.

TEKO MARANGATU. Direção: ASCURI. Produção: ASCURI. Duração: 5’57’’. Ano: 2020. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=tdTC1i0rch4 >. Acesso em: 20 mar. 2022.

Downloads

Publicado

2022-12-27

Como Citar

(1)
Gorges, M. C.; Benites, E. “A Gente Filma Com O espírito”: Estratégias Para Colocar O Olhar Guarani Dentro Da câmera. FDC 2022, 8, 32-56.