Apli Cativo Necroliberalismo

  • Pablo Lemos Lucena UFBA PPGAV
Palavras-chave: videoarte, entregadores, fotografia

Resumo

O presente artigo procura refletir sobre o processo criativo do autor, fazendo um breve recorte sobre o vídeo Apli Cativo Necroliberalismo (2020). Diante da pandemia do vírus Covid 19, imagens foram feitas pelas janelas de um apartamento na perspectiva do quarentenado, assim uma poética foi criada registrando entregadores que trabalhavam com aplicativos na urbe. Se a priori a típica mimese da linguagem videográfica estaria presente, a posteriori anamorfoses e interferências sonoras foram realizadas na pós-produção. Deste modo um diálogo necessário foi estabelecido com o pensamento de autores que refletiram sobre o momento distópico da pandemia, como Achille Mbembe e Vladimir Safatle ou sobre arte política a exemplo de Georges Didi-Huberman e Hall Foster. Aproximações e distanciamentos também foram realizados com alguns vídeos do artista Cao Guimarães.

Referências

BARTHES, Roland. A Câmara Clara. Nota sobre a fotografia. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.
DIDI-HUBERMAN, Georges. Quando as imagens tomam posição; tradução Cleonice Paes Barreto Mourão. - Belo Horizonte: Editora UFMG, 2017.
FISCHER, Ernst. A necessidade da arte. - tradução de Leandro Konder. - 5 ed. - Rio de Janeiro: Zahar Editôres, 1976.
FOSTER, Hal. O retorno do real: a vanguarda no final do século XX; tradução Célia Euvaldo. – São Paulo: Cosac & Naify, 2014.
MBEMBE, Achille. O direito universal a respiração; Tradução Ana Luiza Braga. Disponível em: Acesso em: 14 mai. 2020.
SAFATLE, Vladimir. Bem vindo ao estado suicidário. Disponível em: Acesso em: 14 mai. 2020.
SANTOS, Boaventura de Sousa. Renovar a teoria Crítica e reinventar a emancipação social. São Paulo: Boitempo, 2007.
Publicado
2020-12-15
Como Citar
(1)
Lemos Lucena, P. Apli Cativo Necroliberalismo. FDC 2020, 6, 335-349.