O capital cultural em Bourdieu e a cultura capital em Freud:

breves indicações sobre psicanálise e/da educação

  • Fábio Moreira Vargas Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: psicanálise, educação

Resumo

Bourdieu elabora (2003), por meio de uma sofisticada análise sociológica, uma crítica feroz ao modelo escolar tradicional. Através da naturalização de uma situação essencialmente histórica e contingente, o percurso educativo, no interior das escolas, transforma-se num legitimador de estruturas sociais opressoras e desiguais. Através da noção de Capital Cultural, pode revelar as raízes das problemáticas noções de “fracasso” e “sucesso” escolar. No interior dessa argumentação, o presente trabalho procura articular, sob viés psicanalítico, a exibição da construção silenciosa da subjetividade humana através do contexto intersubjetivo da cultura. Para tal, será focalizada a noção de Super-eu que Freud demonstra ser o herdeiro de uma introjeção da exterioridade configurando-se como polo de opressão interior. Procura-se, assim, articular às análises de Bourdieu sobre o capital cultural as formulações freudianas sobre a cultura capital e aprofundar, desse modo, algumas constatações de Bourdieu através da psicanálise de Freud.

Biografia do Autor

Fábio Moreira Vargas, Universidade de São Paulo (USP)
Professor de Filosofia, Graduando em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Principal interesse na relação entre filosofia e psicanálise.
Publicado
2019-07-09
Como Citar
Vargas, F. M. (2019). O capital cultural em Bourdieu e a cultura capital em Freud: . CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS, (29), 22. Recuperado de https://periodicos.ufjf.br/index.php/csonline/article/view/17544
Seção
Artigos