Conhecimento e aceitação das práticas integrativas e complementares por estudantes de medicina

Palavras-chave: Práticas integrativas e complementares, Educação de Graduação em Medicina, Medicina Complementar.

Resumo

Objetivo: investigar o interesse, o conhecimento e o uso das Práticas Integrativas e Complementares (PIC) pelos estudantes de Medicina. Métodos: Aplicação de questionários estruturados com os estudantes de medicina de uma instituição pública federal do 1º ao 8º períodos no primeiro semestre de 2015. Os dados foram analisados no programa estatístico R versão 3.2.2. Resultados: O percentual de alunos que indicaria as PIC a seus pacientes é 82,5%. As variáveis associadas a indicar o uso das PIC foram: raça/cor não branca, ser aluno dos períodos iniciais, achar importante ter as PIC na grade curricular, ter cursado alguma disciplina ou atividade sobre as PIC, informar que usaria as PIC como pacientes e ter usado alguma PIC nos últimos 12 meses. Conclusões: O contato do aluno com as PIC por meio de disciplinas e atividades é fundamental para que os futuros médicos sejam capazes de indicar essas modalidades terapêuticas aos seus pacientes, ampliando as ferramentas terapêuticas disponíveis. Logo, torna-se necessária a inclusão no currículo ativo as PIC, a fim de ampliar a formação do aluno como médico generalista.

Biografia do Autor

Louise Lorraine Santos, Universidade Federal de Juiz de Fora
Discente do curso de Medicina – Universidade Federal de Juiz de Fora. Área: Saúde
Sâmara Pereira de Miranda, Universidade Federal de Juiz de Fora
Discente do curso de Medicina – Universidade Federal de Juiz de Fora. Área: Saúde
Victor Coelho Clemente, Universidade Federal de Juiz de Fora
Discente do curso de Medicina – Universidade Federal de Juiz de Fora. Área: Saúde
Mario Círio Nogueira, Universidade Federal de Juiz de Fora
Docente do curso de Medicina – Universidade Federal de Juiz de Fora. Departamento de Saúde Coletiva. Área: Saúde
Publicado
2020-01-24
Seção
Artigos de Revisão