EDUCAÇÃO POPULAR COMO ORIENTADORA DE GRUPOS DE PROMOÇÃO À SAÚDE DE PESSOAS COM HIPERTENSÃO E DIABETES NA ATENÇÃO BÁSICA: CAMINHOS E APRENDIZADOS COM BASE EM UMA EXPERIÊNCIA

  • Pedro Cruz UFPB
  • Daniella Virmes
  • Maria Hellena Leitão
  • Renan Araújo
Palavras-chave: Educação em Saúde, Participação da Comunidade, Doença Crônica, Atenção Primária à Saúde, Medicina de Família e Comunidade

Resumo

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e o Diabetes Mellitus (DM) destacam-se entre as patologias responsáveis pela maior parte da morbimortalidade decorrente de doenças crônicas não-transmissíveis, constituindo linha de cuidado estratégica na Atenção Básica (AB). Esse trabalho sistematiza a experiência de um grupo comunitário com foco na promoção da saúde de pessoas que convivem com HAS e DM, desenvolvido no contexto da AB pela abordagem da Educação Popular (EP). Contextualizaremos o grupo, trazendo à tona suas experiências e uma análise crítica. O estudo resultou de pesquisa qualitativa com metodologia da sistematização de experiências, envolvendo três frentes: observação participante; entrevistas individuais; e grupo de discussão. Observou-se reorientação do tradicional grupo HiperDia, de momento de distribuição de medicamentos, aferição de pressão arterial e de glicemia, para seu estabelecimento como espaço de encontro e convivência comunitária focado em conversas acerca de conhecimentos, apoio social e estratégias para a qualidade de vida e a realização de projetos de felicidade. Nesses espaços, a EP pode compor uma aplicação edificante e compartilhada do cuidado, na perspectiva da integralidade e do bem viver, tendo como abordagens diálogo cotidiano, valorização das histórias de vida e inclusão das iniciativas dos usuários na pauta do serviço.

Publicado
2019-01-30
Seção
Artigos Originais