Qualidade da assistência à gestante em diferentes modelos de Atenção Primária

  • Antônio Prates Caldeira Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Kênia Rabelo Santana
  • Jair Almeida Carneiro
  • Anderson Antônio Faria
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Saúde Materno-infantil, Saúde da Família, Avaliação de Processos e Resultados (Cuidados de Saúde).

Resumo

Resumo: Este estudo teve como objetivo avaliar a qualidade da assistência à gestante em dois modelos de Atenção Primária à Saúde, comparando-se as Unidades de Saúde da Família com os Centros de Saúde tradicionais. Foram realizadas entrevistas com amostra aleatória de puérperas nas três maternidades do município, avaliando-se alguns indicadores de assistência e de desfecho da gestação, ao longo de dez meses. Foram analisadas 379 entrevistas, das quais 159 eram referentes à assistência exclusiva nas Unidades de Saúde da Família (42%) e 220 eram referentes à assistência exclusiva nos Centros de Saúde (58%). Os dois grupos se mostraram semelhantes em relação às características sociodemográficas. Em relação aos indicadores do processo assistencial, observou-se maior proporção de gestantes com seis ou mais consultas nas Unidades de Saúde da Família (p < 0,006). Não foram observadas diferenças em relação a outros aspectos do processo de assistência. Também em relação aos desfechos da gestação, não foram observadas diferenças estatisticamente significativas, mas ambos os serviços apresentaram elevadas taxas de recém-nascidos prematuros e de baixo peso.

Biografia do Autor

Antônio Prates Caldeira, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
Professor do departamento de Saúde da Mulher e da Criança do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).
Kênia Rabelo Santana
Publicado
2010-03-04
Seção
Artigos Originais