Da seleção de informação à comunicação oral: uma experiência realizada com uma turma do 2.º ano de escolaridade

Autores

  • Mariana Oliveira Pinto Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico de Setúbal | Universidade de Aveiro, Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores https://orcid.org/0000-0002-3077-3202
  • Maria Beatriz Gil Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal, Portugal; Academia de Música e Belas Artes Luísa Todi, Setúbal, Portugal https://orcid.org/0000-0002-5770-6106

Resumo

Em contexto escolar, aceita-se habitualmente que o oral é algo que está reservado à família e ao meio em que a criança está inserida e que à escola competirá, sobretudo, ensinar a ler e a escrever (CASSANY et al., 2007). No entanto, nem todas as formas de comunicação oral são espontâneas e informais, requerendo, muitas delas, preparação e elaboração, sendo por isso essencial o seu ensino explícito. Partindo deste pressuposto, este artigo tem como objetivo apresentar uma experiência realizada numa escola portuguesa do 1.º ciclo do concelho de Setúbal, que envolveu 17 alunos de uma turma do 2.º ano da escolaridade. Definido o tema a pesquisar, foi proposta a planificação e apresentação de uma exposição oral, tendo como suporte o póster. As evidências recolhidas permitem concluir que o processo foi importante para o desempenho final dos alunos e que estes demonstraram ter adquirido algumas das competências básicas essenciais para um bom desempenho oral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-09-14

Edição

Seção

Experiências inovadoras de ensino e avaliação do oral na escola