O professor temporário e o papel do coletivo

marcas da (des)vitalidade do métie

  • Kátia Diolina

Resumo

Este artigo visa a apresentar um recorte dos resultados de uma tese (DIOLINA, 2016). Trata-se da análise de textos sobre a situação desafiante do trabalho do professor temporário e do papel do coletivo nesse processo, conforme revelado em discussão em grupo. Para isso, recorremos ao Interacionismo Sociodiscursivo (BRONCKART, 1999; MACHADO & BRONCKART, 2009), bem como aos referenciais da Clínica da Atividade (CLOT, 2006, 2010), aos do grupo ERGAPE (AMIGUES, 2004) e às características de vitalidade do coletivo (CAROLY, 2010, CAROLY & BARCELLINI, 2013). Os resultados apontaram que o papel do coletivo é significativo, vitalizando a profissão, apesar das marcas que a desvitalizam (DIOLINA, 2016).

Publicado
2019-09-13
Seção
Seção 3 – ISD e formação docente: trabalho, concepções e representações