3) Adquirindo a língua materna – Regras opcionais e regras obrigatórias

  • Raquel Santana Santos (USP)

Resumo

Inglês: In this presentation, I investigate the acquisition of phonological juncture rules, discussing whether the facts corroborate Stemberger (1989)’s proposal–for whom the mechanisms of production in adult language are active since the initial stages of the language acquisition process–or Newton & Wells (1999. 2002)’ proposal–for whom the application of the processes of juncture are automatic and what needs to be learned is the articulation of individual gestures and intergestural overlaps. I examine the acquisition of two kinds of juncture rules in Brazilian Portuguese: elision (an example of an optional rule of external sandhi (Santos (2009)) and voicing of fricatives in coda positions (Silva 2008, Silva & Santos 2010). In both cases, the key question is: “do children make mistakes?”. The results show that children do make errors during the acquisition process, but in a different way from what would be expected. For the voicing rule, errors are always of under-application,never over-application. For the elision rule, it is possible to find cases of over-application; however, it is not thecase that children always apply the rule and in a later moment stop applying them. The fact that we find errors and that they can be explained as not involving over-application leads us to reject both Stemberger and Newton& Welss’proposals.
Key words:
acquisition of phonological rules; juncture processes.


Tradução:
Este trabalho compôs a sessão coordenada Prosódia em Aquisição da Linguagem. Nesta apresentação, focalizo o percurso de aquisição de regras fonológicas de juntura frente às propostas de Stemberger (1989)- para quem os mecanismos de produção da língua adulta já operam normalmente desde o início-e de Newton & Wells (1999, 2002)- para quem a aplicação dos processos de juntura são automáticos e o que necessita ser adquirido é a articulação dos gestos individuais e a sobreposição intergestual. Para desenvolver esta discussão,trato da aquisição de dois tipos de regras de juntura em português brasileiro: a elisão, enquanto exemplar de uma regra opcional de sândi externo (Santos (2009)) e regra de vozeamento de fricativa em coda (Silva 2008, Silva & Santos 2010). Para ambos os casos, a pergunta norteadora é: “as crianças cometem erros?”. Os resultados encontrados mostram que as crianças cometem erros no percurso de aquisição, mas de ordem diferente do esperado. No caso da regra de vozeamento, os erros são sempre de sub-aplicação, nunca de super-aplicação. No caso da regra de elisão, é possível encontrar casos de super-aplicação; no entanto, não é o caso de que as crianças sempre aplicam a regra e depois deixam de aplicá-las. O fato de encontrarmos erros e de que os erros podem ser explicados não como casos de super- aplicação das regras permite-nos rejeitar as propostas de Stemberger e de Newton & Wells.
Palavras-chave:
aquisição de regras fonológicas; processos de juntura.  
Publicado
2016-06-28
Seção
Artigos