4) Ruptura não, linkagem sim: o hipertexto e as enunciações na web

  • Júlio Araújo (UFC)
  • Vicente de Lima-Neto (UESPI)

Resumo

Inglês: Rupture no, linkage yes: the hypertext and the enunciations in the web
Our aim in this essay is to discuss the concept of enunciation for language studies and reflectabout how this concept can be related to human interaction on the web. For this, we conducte Daraid on the enunciation category in languistics studies since enunciative -disco ursive theory of Mikhail Bakhtin (1997 [1953]; 2006 [1929]) through for Benveniste Structuralism (1995 [1966]) and Ducrot (1987 [1984]), the discoursive bias of Foucault (2008 [1969]) and Maingueneau (2001), until social semiotics studies of Kress; Van Leeuwen (1996) and Kress (2010), for, based on them, we examine the supposed concept of digital enunciation. According to our analysis, we can not sustain the notion that, with the hypertext, humanity has reached a new way to state, called a digital statement.
Key words: Enunciation; hipertext; web.


Tradução: O nosso objetivo nesse ensaio é o de discutir o conceito de enunciação para os estudos linguísticos e refletir sobre como esse conceito pode ser relacionado à interação humana na web. Para isso, realizamos uma incursão teórica sobre a categoria da enunciação nos estudos linguísticos desde a teoria enunciativo-discursiva de Mikhail Bakhtin (2006 [1929]; 1997 [1953] ), passando pelo Estruturalismo de Benveniste (1995 [1966]) e Ducrot (1987 [1984]), pelo viés discursivo de Foucault (2008 [1969] ) e Maingueneau (2001), até chegar aos estudos de semiótica social de Kress; Van Leeuwen (1996) e Kress (2010) para, com base neles, examinarmos o suposto conceito de enunciação digital. Segundo a nossa análise, não é possível suster a noção de que, com o hipertexto, a humanidade chegou aum novo modo de enunciar,chamado de enunciação digital.
Palavras-chave: Enunciação; hipertexto; web.
Publicado
2016-06-24
Edição
Seção
Artigos