12) Tradução: Sexto Empírico, “ Contra os gramáticos ” 176 - 218

  • Rodrigo Pinto de Brito (UFS)
  • Rafael Hughenin (IFRJ)

Resumo

Inglês: Translation: Sextus Empiricus, “Against the Grammarians”176-218.
Translation of Sextus Empiricus (c.II-III d.C.), “Against the Grammarians” (Adv. Gram. 176-218 = M I, 176-218). It was done using the Bekker’s textual fixation (BEKKER, I. Sextus Empiricus [opera omnia]. Berlin: Typis et Imprensis Ge. Reimeri, 1842). In this extract, the skeptic philosopher/physician inveighs against the grammar, as an art of hellenism. He opposes the “good Greek” –as engendered by the grammatical analogy–to the ordinary use of language, the speaker’s ultimate criterion. This ordinary use does not molest the conventions established within the own communities of speakers, and it is also useful, since it is based on experience.
Keywords:
Sextus Empiricus; Against the Grammarians 176-218; translation; pyrrhonism; ancient grammar.

Tradução:
Tradução de Sexto Empírico (c. II- III d.C.), Contra os gramáticos (Adv. Gram. 176-218 = M I, 176-218), feita a partir da fixação textual de Bekker (BEKKER, I. Sextus Empiricus [opera omnia]. Berlim: Typis et Imprensis Ge. Reimeri, 1842). Neste extrato, o filósofo/médico cético investe contra a gramática enquanto arte do helenismo, opondo o "bom grego" engendrado pela analogia gramatical ao uso ordinário da linguagem, para Sexto, o derradeiro critério dos falantes, uma vez que é útil, não molesta as convenções estabelecidas dentro das próprias comunidades de falantes e se baseia na experiência.
Palavras-chave:
Sexto Empírico; Contra os gramáticos 176-218; tradução; pirronismo; gramática antiga.

Publicado
2016-06-14
Edição
Seção
Tradução