COPING E PADRÕES BIOLÓGICOS DE SONO EM EXPEDICIONÁRIOS ANTÁRTICOS

  • Paola Barros-Delben Universidade Federal de Santa Catarina
  • Roberto Moraes Cruz Universidade Federal de Santa Catarina
  • Hiago Murilo de Melo Universidade Federal de Santa Catarina
  • Mariana Lopez Teixeira Universidade Federal de Santa Catarina
  • Sidney Alves de Mendonça Marinha do Brasil
  • Gustavo Klauberg Pereira
  • André Luiz Thieme Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Coping; Sono; Antártica

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a variação das estratégias de coping e padrões de sono em 13 expedicionários do sexo masculino da aviação naval no início e ao final de uma expedição de verão à Antártica. Para investigar as variáveis de coping e de sono foram utilizadas a escala BriefCOPE, um questionário de ritmos biológicos e um formulário sociodemográfico para controle de variáveis. As estratégias de coping focadas na emoção do tipo disfuncional aumentaram de forma significativa ao longo da exposição e não houve relação entre as alterações nos padrões de sono e as estratégias de coping entre o início e final da exposição ao ambiente. A atenção a fatores psicológicos em ambientes polares pode prevenir acidentes no contexto.

Biografia do Autor

Paola Barros-Delben, Universidade Federal de Santa Catarina
Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina. Participante de expedições científicas à antártica desde 2014.
Roberto Moraes Cruz, Universidade Federal de Santa Catarina

Prof. Dr. Roberto Moraes Cruz, psicólogo, engenheiro civil.

Publicado
2019-11-06