Depressão puerperal e interação mãe-bebê: um estudo piloto

  • Sofia Helena Amarante da Silva Ramos
  • Erikson Felipe Furtado
Palavras-chave: Depressão puerperal, interação mãe-bebê.

Resumo

Com o objetivo de comparar perfis de interação mãe-bebê entre mães deprimidas e não deprimidas no terceiro mês do pós-parto, 22 puérperas usuárias passaram por uma entrevista para avaliação de variáveis sóciodemográficas e responderam à Escala de Edimburgo, para detecção de depressão pós-parto, e à Escala de Avaliação da Interação Mãe-Bebê (técnica mista de entrevista e observação). Observou-se que as mães com depressão pós-parto obtiveram pontuação geral significativamente menor na Escala de Avaliação da Interação Mãe-Bebê, se comparadas com as mães não deprimidas. Diferenças significativas entre os dois grupos apareceram em relação à comunicação pós-parto, ao estilo da interação e ao envolvimento afetivo com o bebê. Não houve diferença significativa quanto à comunicação pré-natal e expectativas sobre o bebê, sugerindo que a depressão puerperal possivelmente concentrou seus efeitos prejudiciais sobre a interação mãe-bebê no período do pós-parto.
Publicado
2018-02-28
Seção
Artigos