Visualidade Moderna: Reflexões acerca da Obra de Goethe e Schopenhauer

  • Rômulo Ballestê
  • Francisco Teixeira Portugal
Palavras-chave: Psicologia da percepção, modernidade visual, Goethe, Schopenhauer

Resumo

Este artigo indica a importância do Doutrina das cores (1810), de Johann Wolfgang von Goethe, para o surgimento de um novo regime de visualidade
no século XIX, o modelo de visão subjetiva na cultura ocidental. Sua postura radicalmente nova diante do fenômeno cromático defende o olho
como um órgão vivo e, com isso, funda a visualidade como produto da ação fisiológica do olho. Schopenhauer, influenciado pelo trabalho de
Goethe, desenvolverá a visão subjetiva por meio da divisibilidade retiniana. Embora Goethe tenha realizado um trabalho inovador, a historiografia
da Psicologia moderna, ao se apoiar epistemologicamente no método positivo das ciências naturais, não o incluiu em seu domínio, restringindo-o a
uma espécie de excentricidade do espírito do poeta. Acreditamos que a história da Psicologia possa ser repensada.

Publicado
2017-09-26
Seção
Artigos