Publicidade das big techs sob o olhar crítico da Economia Política da Desinformação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2023.v17.38155

Palavras-chave:

Leis, Fake News, Eleições, Big techs, Desinformação

Resumo

É no processo eleitoral que as fake news ganham maior visibilidade, que comumente se associa sua proliferação aos grupos fechados, de crenças arraigadas e pouco contraditórias consolidando a polarização nas redes sociais digitais. Nesse aspecto, as convicções – morais, político-partidárias e socioculturais – influenciam uma seleção de conteúdos para se consumir e para compartilhar nas redes. Esse cenário é preocupante e tem servido para fundamentação de pesquisas sobre o impacto das desinformações nas eleições no Brasil. Nos últimos anos, estudos vêm sendo produzidos e divulgados, mas a desinformação ganha maior notoriedade no país desde as eleições de 2018 (DOURADO, 2021; MELLO, 2020). A partir de uma leitura seletiva e analítica, este artigo tem o intuito de abordar o tema proposto sob o olhar crítico dos pesquisadores da Economia Política da Comunicação (BOLAÑO, 2000; MARTINS, 2020; VALENTE, 2020), construindo o seu corpus a partir dos desdobramentos do Projeto de Lei das Fake News (versão atual do PL 2630/2020) e baseando-se na atuação das big techs no mercado publicitário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marta Thaís Alencar, Unisinos

Doutoranda em Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Membra do Laboratório de Investigação do Ciberacontecimento (LIC). Fundadora da COAR (Startup de fact-checking no Nordeste).

 

Referências

Brasileira de Jornalismo Investigativo), 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3rEXAgZ>. Acesso em: 29 nov. 2022.

ALENCAR, M. T.; DOURADO, J. L. Fact-checking: Checagens da Folha e do Estadão na construção da credibilidade jornalística na internet. Revista Eptic, v. 22, n. 2, p. 23-37, 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3Q8fpiC>. Acesso em: 22 jun. 2020.

ALLCOTT, H.; GENTZKOW, M. Social media and fake news in the 2016 election. Journal of Economic Perspectives, v. 31, n. 2, p. 211–236, 2017. Disponível em: <https://bit.ly/46XDGxA>. Acesso em: 23 set. 2019.

ARENDT, H. Origens do Totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. E-book. Disponível em: <https://bit.ly/3OxMUbD>. Acesso em: 22 mai. 2022.

BARBOSA, B.; MARTINS, H.; VALENTE, J. Pesquisa fake news: como as plataformas enfrentam a desinformação. São Paulo: Intervozes, 2020. E-book. Disponível em: <https://bit.ly/3OpgaTa>. Acesso em: 14 jan. 2022.

BOLAÑO, C. R. Indústria Cultural: Informação e Capitalismo. São Paulo: Polis, 2000. E-book.

BRASIL. Projeto de Lei Nº 2.630 de 2020. Brasília: Câmara dos Deputados, 2022. Disponível em: <https://bit.ly/3rHB46O>. Acesso em: 22 mai. 2022.

COSTA, R. V.; MACEDO, J. C. A. Constitucionalidade dos Projetos de Lei Apresentados na Câmara Dos Deputados do Brasil sobre Fake News. Revista Internet Lab, v. 1, n. 2, dez. 2020. Disponível em: <https://bit.ly/44Af4JU>. Acesso em: 23 nov. 2021.

DOURADO, T. Fake news: quando mentiras viram fatos políticos. Porto Alegre, Zouk, 2021.

GENRO FILHO, A. O segredo da pirâmide: (para uma Teoria Marxista do Jornalismo). 1987, 276 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade de Santa Catarina, Florianópolis, 1987. Disponível em: <https://bit.ly/471J5DS>. Acesso em: 2 abr. 2020.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOOGLE BRASIL. PL 2630/2020 deixou de ser sobre combater as fake news. Disponível: <https://bit.ly/3Dop8JS>. Acesso em: 17 maio 2022.

HIRST, M. Towards a political economy of fake news. The Political Economy of Communication, v. 5, n. 2, p. 82-94, 2017. Disponível em: <http://bit.ly/44B0rpz>. Acesso em: 16 mar. 2021.

INTERVOZES. Padrões para uma regulação democrática das grandes plataformas que garanta a liberdade de expressão online e uma Internet livre e aberta. São Paulo, INTERVOZES – Coletivo Brasil de Comunicação Social, 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3rFWu4w>. Acesso em: 10 fev. 2022.

KAKUTANI, M. A morte da verdade: notas sobre a mentira na Era Trump. Rio de Janeiro, Intrínseca, 2018. E-book.

LEFÈVRE, F. Brasil não avançou no entendimento de quem financia fake news, diz pesquisadora. [Entrevista Concedida a] Carolina Oliveira. Brasil de Fato, 2022. Disponível em: <https://bit.ly/3Q7Qz2f>. Acesso em: 15 maio 2022.

MARTINS, H. Comunicações em tempos de crise: economia e política. São Paulo: Expressão Popular. Fundação Rosa Luxemburgo, 2020.

MELLO, P. C. A máquina do ódio: notas de uma repórter sobre fake news e violência digital. 1 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

MOSCO, V. Economia Política da Comunicação: Uma perspectiva laboral. Comunicação e Sociedade 1, 1999. (Cadernos do Noroeste, Série Comunicação, v. 12, p. 97 – 120). Disponível em: <https://bit.ly/3q0Nd6E>. Acesso em: 27 jan. 2023.

NEMER, D. Plataformas não querem comprometer lucro para combater fake news, diz pesquisador. [Entrevista concedida a] Andrei Ribeiro. Uol, 2022. Disponível em: <https://bit.ly/3Y5HXen>. Acesso em: 17 nov. 2022.

PODER360. Ações da Meta sobem depois de balanço do 1º tri de 2022. Poder360, 2022. Disponível em: <https://bit.ly/3OoQHJo>. Acesso em: 22 mai. 2022.

RÊGO, A. R.; BARBOSA, M. A construção intencional da ignorância: o mercado das informações falsas. Rio de Janeiro: Mauad X, 2020.

ROMANI, B. Lucro do Facebook aumenta 58% em 2020, mas empresa se prepara para ano difícil. Terra, 2020. Disponível em: <https://bit.ly/44LxLtM>. Acesso em: 28 fev. 2021.

RUDNITZKI, E.; BARBOSA, J.; NALON, T. Desinformação eleitoral alcança 30 milhões impulsionada por Telegram, WhatsApp e anúncios do Google. Aos Fatos, 2022. Disponível em: <https://bit.ly/3Op22JB>. Acesso em: 23 out. 2022.

SCHNEIDER, M.; VALENTE, J. Apresentação do dossiê temático. Revista Eptic, v. 23, n. 1, p. 86-90, jan.-abr. 2021. Disponível em: <https://bit.ly/44i55rO>. Acesso em: 16 mar. 2021.

SILVERMAN, C. Fake News Expert On How False Stories Spread And Why People Believe Them. [Entrevista concedida a] Dave Davies. NPR, 2016. Disponível em: <https://bit.ly/44Buyx4>. Acesso em: 17 nov. 2022.

TEIXEIRA, M. Bolsonaro tenta usar Musk para atacar Lula e buscar ganho eleitoral. Folha de São Paulo, 2022. Disponível em: <https://bit.ly/44A0X78>. Acesso em: 21 mai. 2022.

UOL. Alphabet, dona do Google, supera expectativas e quase dobra lucro anual. Uol, 2022. Disponível em: <https://bit.ly/3Op2eZl>. Acesso em: 15 maio 2022.

VALENTE, J. Apresentação do dossiê temático “Algoritmos, economia e poder”. Revista Eptic, v. 22, n. 2, p. 56-63, 2020. Disponível em: <https://bit.ly/3OWtzSV>. Acesso em: 25 jun. 2020.

VALENTE, J.; PITA, M. Monopólios digitais: concentração e diversidade na internet. São Paulo: Intervozes, 2018. Disponível em: <https://bit.ly/3rtwQ2D>. Acesso em: 15 abr. 2020.

VALENTE, J. Saiba mais sobre o “metaverso”, nova tecnologia lançada pelo Facebook. Agência Brasil, Brasília, 2021. Disponível em: <https://bit.ly/44RyzNN>. Acesso em: 21 dez. 2021.

VALENTE, J. Tecnologia, informação e poder: das plataformas online aos monopólios digitais. Brasília, 2020. E-book.

VASCONCELOS, Y. Qual a diferença entre publicidade e propaganda?. Superinteressante, 2017. Disponível em: <https://bit.ly/3DpoCLW>. Acesso em: 10 set. 2022.

VENTURINI, T. From Fake to Junk News, the Data Politics of Online Virality. Tommaso Venturini, 2019. Disponível em: <http://bit.ly/44SnID3>. Acesso em: 25 jun. 2020.

VIEIRA, R. Moderação de conteúdo na internet brasileira: em defesa do Marco Civil. Consultor Jurídico, 2021 Disponível em: <https://bit.ly/44A1l5A>. Acesso em: 17 dez. 2021.

Downloads

Publicado

2023-08-30

Como Citar

ALENCAR, M. T. . Publicidade das big techs sob o olhar crítico da Economia Política da Desinformação. Lumina, [S. l.], v. 17, n. 2, p. 76–91, 2023. DOI: 10.34019/1981-4070.2023.v17.38155. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/38155. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos