A ficção seriada televisiva estadunidense durante a Peak TV: hibridismo, serialização e fidelização

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2022.v16.32301

Palavras-chave:

Ficção seriada televisiva, Série, Seriado, Peak TV, Streaming

Resumo

A indústria televisiva estadunidense tem vivenciado um momento de intensa competição, caracterizado pela expressão Peak TV. Neste cenário, contudo, um grupo restrito de produções tem recebido a maioria da atenção acadêmica. De modo a elucidar melhor o atual contexto de uma das maiores indústrias de TV do mundo, aqui nos propomos a explorar o estado da arte da serialização nas produções contemporâneas. Utilizando de análises da crítica estadunidense e de exemplos pontuais de produções, defendemos que o modelo episódico de séries encontra-se ainda muito proeminente, principalmente na TV aberta. Identificamos, também, que os serviços de streaming têm se utilizado do modelo seriado como forma de distinção e legitimação dos mesmos. Por fim, o processo de hibridização das lógicas episódicas e seriadas, iniciado na década de 1990, ainda é uma característica marcante das produções da Peak TV, sendo utilizado, em alguns casos, como uma estratégia de fidelização. Buscamos aqui apontar as zonas cinzentas entre ambos os modelos em um cenário televisivo de intensa competição, em que cada produção faz sua própria negociação com as lógicas do episódico e do seriado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Melina Meimaridis, Universidade Federal Fluminense

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense. Coordenadora do grupo de pesquisa TeleVisões (UFF) e pesquisadora associada ao Série Clube (UFF).

Rodrigo Quinan, Universidade Federal Fluminense

Doutorando e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense. Pesquisador associado aos grupos de pesquisa TeleVisões (UFF), Lamide (UFF), CiteLab (UFF) e Rede Conecta (UFF).

Referências

ADALIAN, J. How Amazon Became a Major Player in Half-Hour Television. Slate, 11 out. 2016. Disponível em: <https://slate.com/culture/2016/10/an-interview-with-amazon-s-joe-lewis-about-half-hour-shows.html>. Acesso em: 12 mai. 2021.

ARAÚJO, J. E. S. Crystal blue persuasion: a construção do mundo ficcional no seriado televisivo Breaking Bad. 2015. 163 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Cultura Contemporâneas) - Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015. Disponível em: <http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/24229>. Acesso em: 22 set. 2020.

CALABRESE, O. A Idade Neobarroca. Lisboa: Edições 70, 1987.

CASTELLANO, M.; MEIMARIDIS, M. Netflix, discursos de distinção e os novos modelos de produção televisiva. Contemporânea, Salvador, v. 14, n. 2, p. 193-209, 2016. Disponível em: <https://periodicos.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/16398>. Acesso em: 22 set. 2020.

CASTELLANO, M.; MEIMARIDIS, M.; FERREIRINHO, G. Dramas televisivos de prestígio e masculinidade. Comunicação & Inovação, São Caetano do Sul, v. 20, n. 44, 2019. Disponível em: <https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_comunicacao_inovacao/article/view/5470>. Acesso em: 22 set. 2020.

GARCÍA, A. N. A Storytelling Machine: The Complexity and Revolution of Narrative Television. Between, Cagliari, v. 6, n. 11., p. 1-25, 2016. DOI: <https://doi.org/10.13125/2039-6597/2081>.

GRANDÍO, M. D. P.; GONZÁLEZ, P. D. La influencia de la sitcom americana en la producción de comedias televisivas en España. El caso de “Friends” y “7 vidas”. Ámbitos, Sevilha, n. 18, p. 83-97, 2009. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11441/68205>. Acesso em: 22 set. 2020.

INNOCENTI, V.; PESCATORE, G. Changing Series: Narrative Models and the Role of the Viewer in Contemporary Television Seriality. Between, Cagliari, v. 4, n. 8, p. 1-15, 2015. DOI: <https://doi.org/10.13125/2039-6597/4>.

LAVERY, D.; THOMPSON, R. David Chase, The Sopranos, and television creativity. In: LAVERY, D. (ed). This thing of ours: investigating The Sopranos. Nova York: Columbia University Press, 2002, p. 18-25.

LEVINSON, P. Naked Bodies, Three Showings a Week, and No Commercials: The Sopranos as a Nuts-and-Bolts Triumph of Non-Network TV. In: LAVERY, D. (ed). This thing of ours: investigating The Sopranos. Nova York: Columbia University Press, 2002, p. 26-31.

MITTELL, J. Narrative complexity in contemporary American television. The Velvet Light Trap, Austin, n. 58, p. 29-40, 2006. DOI: <https://doi.org/10.1353/vlt.2006.0032>.

MITTELL, J. Complex TV: The poetics of contemporary television storytelling. Nova York: NYU Press, 2015.

MOLDOVAN, R. That show you like might be coming back to style: How Twin Peaks Changed the Face of Contemporary Television. American, British and Canadian Studies, v. 24, n. 1, p. 44-68, 2015. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/283894149_That_Show_You_Like_Might_Be_Coming_Back_in_Style_How_Twin_Peaks_Changed_the_Face_of_Contemporary_Television>. Acesso em: 23 set. 2020.

NANNICELLI, T. It’s all connected: televisual narrative complexity. In: POTTER, T.; MARSHALL, C. W. (eds.) The Wire: urban decay and American television. Nova York: Bloomsbury Publishing USA, 2009, p. 190-202.

NEWMAN, M. Z. From beats to arcs: Toward a poetics of television narrative. The Velvet Light Trap, Austin, n. 58, p. 16-28, 2006. DOI: <https://doi.org/10.1353/vlt.2006.0033>.

NEWMAN, M. Z. Quality TV as Liberal TV. Western Humanities Review, Salt Lake City, v. 70, n. 3, 2016. Disponível em: <http://www.westernhumanitiesreview.com/fall-2016-70-3/quality-tv-as-liberal-tv/>. Acesso em: 23 set. 2020.

NDALIANIS, A. Television and the neo-baroque. In: HAMMOND, M; MAZDON, L. (eds.). The Contemporary television series. Edimburgo: Edinburgh University Press, 2005, p. 83-101.

PICADO, B.; NERI, J. Reaparições do risível: estrutura episódica e serializações cômicas, em Seinfeld e Comedians In Cars Getting Coffee. Revista Alceu, v. 15, n. 29, p. 19-33, jul./dez. 2014. Disponível em: <http://revistaalceu-acervo.com.puc-rio.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=515&sid=41>. Acesso em: 23 set. 2020.

RUSTAD, G. C.; SCHWIND, K. H. The joke that wasn’t funny anymore: Reflections on the metamodern sitcom. In: VAN DEN AKKER, R.; GIBBONS, A.; VERMEULEN, T. (eds.). Metamodernism: Historicity, affect, and depth after postmodernism. Londres: Rowman & Littlefield, 2017, p. 131-146.

STARK, S. D. Glued to the set: the 60 television shows and events that made us who we are today. Nova York: Delta, 1997.

THOMPSON, R. J. Television’s second golden age: from Hill Street blues to ER. Nova York: Syracuse University Press, 1997.

VANARENDONK, K. Theorizing the Television Episode. Narrative, Columbus, v. 27, n. 1, p. 65-82, 2019. DOI: <https://doi.org/10.1353/nar.2019.0004>.

Downloads

Publicado

2022-04-30

Como Citar

MEIMARIDIS, M. .; QUINAN, R. A ficção seriada televisiva estadunidense durante a Peak TV: hibridismo, serialização e fidelização. Lumina, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 61–78, 2022. DOI: 10.34019/1981-4070.2022.v16.32301. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/32301. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos