O consumo da experiência na ficção seriada televisiva: Gilmore Girls e a cidade de Stars Hollow

  • Mayka Castellano Universidade Federal Fluminense (UFF)
  • Melina Meimaridis Universidade Federal Fluminense (UFF)
Palavras-chave: Gilmore Girls, Ficção Seriada, Locações, Consumo Da Experiência.

Resumo

Neste artigo, analisamos a importância da cidade de Stars Hollow na experiência de consumo da série televisiva Gilmore Girls a partir de duas premissas. A primeira é que a pequena cidade fictícia localizada no estado de Connecticut se configura como uma importante personagem da história. Além disso, argumentamos que Stars Hollow não é limitada pela estrutura narrativa da produção, transbordando para além da tela, através das locações da série, situadas nos estúdios da Warner Bros. em Los Angeles, na Califórnia. Aberto para visitação do público, esse espaço real constitui uma parte importante do relacionamento dos fãs com esse produto cultural, a partir da ideia de “consumo da experiência” (PEREIRA et al, 2015). Para comprovar nosso argumento, realizamos uma pesquisa de inspiração etnográfica tanto nas locações citadas como nos sites de redes sociais dedicados à série, em especial no Instagram.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayka Castellano, Universidade Federal Fluminense (UFF)
Professora Adjunta do Departamento de Estudos Culturais e Mídia e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense.
Melina Meimaridis, Universidade Federal Fluminense (UFF)
Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense

Referências

AMARAL, A.; SOUZA, R. V.; MONTEIRO, C. “De westeros no #vemprarua à shippagem do beijo gay na TV brasileira”. Ativismo de fãs: conceitos, resistências e práticas na cultura digital. Galaxia(São Paulo, Online), n. 29, 2015, p. 141-154.

BAYM, N. Tune in, log on: soaps, fandom, and online community. Thousand Oaks: Sage, 2000.

BUCKMAN, A. R. You've Always Been the Head Pilgrim Girl: Stars Hollow as the Embodiment of the American Dream. In:DIFFRIENT, D. S.; LAVERY, D. (Ed.) Screwball Television: Critical Perspectives on Gilmore Girls. Syracuse University Press, 2010.

BURY, R. Cyberspaces of their own: female fandoms online. New York: Peter Lang Publishing, 2005.

GJELSVIK, A. ‘The Wire og krimifortællingens serialitet’/’The Wire and the seriality of the crime story’. In: CHRISTENSEN, J. R. ; HANSEN, K. T. (Eds).Fingeraftryk – studier i krimi og det kriminelle. Fingerprints Aalborg: Aalborg Universitetsforlag, 2010, p. 355–367

GOMES, L. G. Fãs sites ou “O Consumo da experiência na Mídia Contemporânea”. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, n. 28, 2007, p.313-344.

GRAY, H. Recovered, reinvented, reimagined: Treme, television studies and writing New Orleans. Television & New Media, p. 268-278, 2012.

HELLEKSON, K.; BUSSE, K. Fan fiction and fan communities in the age of the internet. Jefferson: McFarland & Company, 2006.

HARRINGTON, L.; BIELBY, D. Global fandom/Global fan studies. In: GRAY, Jonathan et al (Orgs.). Fandom: identities and communities in a mediated world. New York: New York University Press, 2007, p.179-197.

JENKINS, H. Textual poachers: television fans and participatory culture. London: Routledge, 1992.

______. Culturada convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

JOST, F. Do que as séries americanas são sintoma?Porto Alegre: Sulina, 2012.

MOSS, M. Toward the visualization of history: the past as image. Lexington Books, 2008.

O’MERA, R. “I will try harder to merge the worlds” Expanding Narrative and Navigating Spaces in Gilmore Girls. In:DIFFRIENT, D. S.; LAVERY, D. (Ed.) Screwball Television: Critical Perspectives on Gilmore Girls. Syracuse University Press, 2010.

PEREIRA, C.; et al. “Consumo de experiência” e “experiência de consumo”: Uma discussão conceitual. LOGOS. v.22, n. 02, 2015.

PARMETT, H. M. Space, Place, and New Orleans on Television: From Frank’s Place to Treme. Television & New Media, p.193-212, 2011.

SILBERGLEID, R.. Hip mamas: Gilmore girls and ariel gore. Hall, A. C., & Bishop, M. J., (Eds.), Mommy angst: Motherhood in American popular culture, Santa Barbara, CA: Praeger, 2009, p. 93-111.

SILVA, M. V. B. Cultura das séries: forma, contexto e consumo de ficção seriada na contemporaneidade. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO (Compós), 22, Salvador, 2013.

______. Arrested Development e o Futuro das Séries (de Tevê?). Novos Olhares, v.3, n. 1, p. 42-50, 2014.

SBORGI, A. V. The Thing that Reads a Lot. In: DIFFRIENT, D.S.;LAVERY, D. (Eds). Screwball television: Critical perspectives on Gilmore Girls. Syracuse: Syracuse University Press, 2010, p. 186- 202

WAADE, A. M. Crime scenes: Conceptualizing Ystad as location in the Swedish and the British Wallander TV crime series. Northern Lights: Film & Media Studies Yearbook, 2011, v. 9, n. 1, p. 9-25.
Publicado
2017-08-30
Como Citar
CASTELLANO, M.; MEIMARIDIS, M. O consumo da experiência na ficção seriada televisiva: Gilmore Girls e a cidade de Stars Hollow. Lumina, v. 11, n. 2, p. 234-252, 30 ago. 2017.