Found footage e apropriação de imagens: uma análise de Faceless

Palavras-chave: Found Footage, Arquivo, Banco de Dados, Apropriação, Cinema

Resumo

Nesse artigo pretendemos analisar a apropriação e reutilização de imagens de arquivo no cinema de found footage, regime estético que tem como característica o uso de imagens pré-existentes como base de sua realização. O nosso objetivo específico é analisar o filme Faceless (Áustria, Dir. Manu Luksch, 2007, 50’). Parte de um projeto artístico homônimo, o filme é resultado da apropriação e montagem de imagens produzidas por CCTVs, câmeras de segurança de circuito fechado, espalhadas na cidade de Londres, no Reino Unido. As imagens foram adquiridas dentro dos temos da Lei de Proteção de Dados britânica de 1998, que fornece aos cidadãos o direito de acessar dados pessoais armazenados em computadores, o que inclui imagens gravadas por CCTVs. A narrativa fílmica foi desenvolvida no processo de obtenção das imagens, cuja lei impõe limites relativos à privacidade alheia no caso da sua publicação ou reutilização. De acordo com as diretivas da lei, isso pode ser feito obscurecendo o rosto dos demais indivíduos presentes na cena. Tais condições são assimiladas pelo cenário e pela narrativa fílmica, que dialoga de forma crítica com o sistema contemporâneo de crescente vigilância e visibilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sabrina Tenório Luna da Silva, Pesquisadora Independente

Pesquisadora independente, doutora em comunicação pela UFPE (Universidade Federal de Pernambuco, 2015), com bolsa da Facepe.

Referências

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2001.

DANKS, Adrian. The Global Art of Found Footage Cinema. In: BADLEY, Linda, PALMER, R. Barton, SCHNEIDER, Steven Jay (eds.). Traditions in World Cinema. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2006, p. 241 - 253.

FLUSSER, Vilém. Filosofia da Caixa Preta – Ensaios para uma futura filosofia da fotografia. São Paulo: Editora Hucitec, 1985.

GILLIOM, John; MONAHAN, Torin. SuperVision: An Introduction to the Surveillance Society. Chicago: University of Chicago Press, 2013.

HABIB, André. Ruin, Archive and the Time of Cinema: Peter Delpeut's "Lyrical Nitrate". SubStance, v.35, n.2. Madison: University of Wisconsin Press, 2006.

KAMPER, Dietmar. Mudança de Horizonte - O sol novo a cada dia. São Paulo: Paulus Editora, 2016.

MANOVICH, Lev. The language of new media. Cambridge: The Massachusetts Institute of Technology Press, 2001.

SÆTHER, Susanne Østby. Archival Art: Negotiating the Role of New Media. In RØSSAAK, Eivind (org.). The Archive in Motion: New Conceptions of the Archive in Contemporary Thought and New Media Practices. Oslo: National Library of Norway, 2010, p. 77 - 108.

WEES, William C. Recycled Images. The Art and Politics of Found Footage Films. Anthology Film Archives: New York City, 1993.

WEINRICHTER, Antonio. Metraje encontrado: la apropriación en el cine documental y experimental. Colección Punto de vista, Pamplona: Fondo de publicaciones del Gobierno de Navarra, n. 4, 2009.

WOLF, Sergio. El Manantial. Em: LISTORTI, Leandro e TRELOTOLA, Diego (org.) Cine Encontrado: Qué es y donde va el found footage? Gobierno de Buenos Aires. Libro que acompaña el “Foro found footage” del 12o BAFICI, Buenos Aires, 2010, p. 11 - 16.

Publicado
2020-08-30
Como Citar
TENÓRIO LUNA DA SILVA, S. Found footage e apropriação de imagens: uma análise de Faceless . Lumina, v. 14, n. 2, p. 88-101, 30 ago. 2020.
Seção
Dossiê: Apropriação, Inapropriação, Desapropriação