O consumido e o consumado: Apropriações antológicas e inéditas de Borges

Palavras-chave: Consumo, Literatura, Intertexto, Tradução, Autoria

Resumo

Selecionar, alterar e editar são atos constitutivos do processo de criação no domínio das artes. Incontáveis são os exemplos de artistas cuja produção apresenta singularidades em relação a essas etapas, e sua prática determina como resultado o seu próprio estilo, o que o diferencia dos demais. Expoente da arte de se apropriar de narrativas clássicas para construir a sua obra, escolhendo delas partes nucleares, Jorge Luis Borges figura neste ensaio com sete contos inéditos em língua portuguesa, nos quais suas tramas se mostram compostas de fragmentos de histórias míticas de tradição greco-romana, reelaboradas pelo seu talento ficcional, ratificando-o como um dos pioneiros da técnica de escrita não-criativa. O procedimento de “corta e cola” não se restringiu, em seu caso, à camada superficial do texto, mas deslizou para a micro e macro-estrutura de suas narrativas. Além de sua “contribuição” para essa corrente literária que se alimenta mais estreitamente dos intertextos como matéria-prima primordial de seu fazer, realçamos também nesse contexto o tema da tradução como transcriação, reapropriação e co-autoria, abrindo discussão acerca da inautenticidade da arte não apenas no contemporâneo digital, mas em sua própria genealogia. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Anzanello Carrascoza, ESPM-SP

Doutor e mestre pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, docente e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas de Consumo da ESPM-SP.

Referências

BOCCACCIO, Giovanni. Decamerão. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

BORGES, Jorge Luis. Dispersos. Buenos Aires: Emecé, 1994.

______. Esse ofício do verso. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

______. Ficções. 4. ed. Porto Alegre/Rio de Janeiro: Editora Globo, 1986a.

______. História universal da infâmia. Lisboa: Assírio e Alvim, 1982.

______. Nueva antologia personal. 16. ed. Mexico DF: Siglo Veintiuno Editores, 1987.

______. O aleph. 6. ed. Rio de Janeiro: Editora Globo, 1986b.

______. O livro dos sonhos. São Paulo: Círculo do livro, 1976.

CARRASCOZA, João Anzanello; AGUALUSA, José Eduardo; CUNHA, Leo; AGUIAR, Luiz Antonio. Nos labirintos de Borges – Contos inspirados em Jorge Luis Borges. São Paulo: Melhoramentos, 2014.

SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

Publicado
2020-08-30
Como Citar
CARRASCOZA, J. A. O consumido e o consumado: Apropriações antológicas e inéditas de Borges. Lumina, v. 14, n. 2, p. 74-87, 30 ago. 2020.
Seção
Dossiê: Apropriação, Inapropriação, Desapropriação