Literatura digital: a reconfiguração do leitor, os desafios e a urgência de novas literacias

Palavras-chave: Novos Media. Literatura Digital, Literacia Digital, Leitor, Reconfigurações, Materialidade.

Resumo

Tendo como base a ideia de Chartier (1999) de que novos suportes têm vindo a acionar, ao longo da História, novos modos de ler e, consequentemente, novos tipos de leitor defenderemos ao longo deste artigo a necessidade de repensar, à luz do surgimento de um novo suporte e de um novo espaço de escrita – o digital – o papel do leitor, admitindo, que a sua figura sofre, nesse processo, um conjunto de reconfigurações, contribuindo a materialidade do digital para nos apresentar um leitor 2.0: leitor imersivo, leitor performer e leitor jogador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isa Mestre, Universidade do Algarve/ CIAC - Centro de Investigação em Artes e Comunicação
Isa Mestre é licenciada em Ciências da Comunicação; Mestre em Produção, Edição e Comunicação de Conteúdos Multimédia e Doutora em Comunicação, Cultura e Artes pela Universidade do Algarve. É colaboradora do Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC). De 2012 a 2015 lecionou, como Professora Assistente Convidada, na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais e na Escola Superior de Educação e Comunicação, na Universidade do Algarve. Colabora atualmente com o projeto Romanceiro.pt.

Referências

AARSETH, E. Perspectives on Ergodic Literature. Baltimore: The John Hopkins University Press, 1997.

BELLEI, S. L. . Hipertexto e Literatura. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2012.
BROECKMANN, A. Image, Process,Performance, Machine. Aspects of a Machinic Aesthetics. In International Conference on the histories of media art, science and technology, p. 1-5 , 2005.

CHARTIER, R. A Aventura do Livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1999.

GOICOECHEA DE JORGE, M. Los nuevos rituales de lectura literaria en pantalla. Encuentros en Verines . Asturias: Pendueles, p. 3-7, 2011. Disponível em: < http://www.mecd.gob.es/lectura/pdf/v11_maria_goico.pdf>. Acesso em: 16 dez. 2017.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: A study of the play element in culture. Boston: Beacon Press, 1955.

LEÃO, L. As derivas e os mapas. In L. Leão, Derivas: Cartografias do Ciberespaço. São Paulo: Annablume, p. 9-15, 2004.

MURRAY, J. Hamlet no Holodeck. São Paulo: Itaú Cultural, 2003.

OLIVEIRA, L., & BALDI, V. Hipermídia como catalisador da leitura na sociedade em rede. In BIEGING, P.;BUSARELLO; ULBRICHT, R. I.; OLIVEIRA, L (Orgs.) Tecnologia e novas mídias: da educação às práticas culturais de consumo. São Paulo: Pimenta Cultural, p. 102-120, 2013.

ROVERO, G. K. Adónde va la literatura? La escritura, la lectura y la crítica entre la galaxia gutemberg y la galaxia electrónica. In Revista Iberoamericana, v.22, p. 687-707, 2001.

RYAN, M.-L. Narrative as Virtual Reality. Baltimore: The John Hopkins University Press, 2001.

______. From Narrative Games to Playable Stories: towards a poetics of interactive narrative. Storyworlds - A Journal of Narrative Studies 1.1, p. 50-56, 2009.

SANTAELLA, L. Navegar no Ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus Editora, 2004.

SEKEFF, M. D. Música e Semiótica. In L. T. (Org.), De sons e signos: música, mídia e contemporaneidade. São Paulo: EDUC, 1998.

SOUZA, L. P. Um labirinto chamado hipertexto. Anais do II Encontro Nacional de Professores de Letras e Artes . Rio de Janeiro: Essentia Editora, 2004.

VOUILLAMOZ, N. Literatura e Hipermedia. Barcelona: Paidós, 2000.
Publicado
2017-12-30
Como Citar
MESTRE, I. Literatura digital: a reconfiguração do leitor, os desafios e a urgência de novas literacias. Lumina, v. 11, n. 3, p. 1-20, 30 dez. 2017.
Seção
Artigos Internacionais