Mass Effect, No Man’s Sky e os realismos nos games

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2017.v11.21418

Palavras-chave:

jogos, realismo, digital, cinematográfico

Resumo

Existe um crescente impulso em direção a uma espécie específica de realismo no mercado dos jogos digitais. Para Lev Manovich, a cultura do mass media é pautada por uma visualidade cinemática que impõe sua agenda, o realismo fotográfico, sobre os outros produtos. Esse realismo, nos jogos, será gerado de forma sintética e precisará de uma teorização distinta que neste trabalho será apresentada sob a linha relativista. Por fim, questiona-se sobre a necessidade do realismo visual.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanderley Anchieta, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em Comunicação pelo PPGCOM-UFF

Referências

AUMONT, Jacques. O Olho Interminável – cinema e pintura. São Paulo: Cosac Naify, 2004.
BARTHES, Roland. A câmara clara: notas sobre fotografia. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.
BORDWELL, David. Narration in the fiction film. Wisconsin: The University of Wisconsin Press, 1985.
BRANIGAN, Edward. Narrative Comprehension and Film. Nova Iorque: Routledge, 2006.
CARROL, Noel. Philosophical Problems of Classical Film Theory. Princeton, N.J.: Princeton University Press, 1988.
COHEN, Jonathan; MESKIN, Aaron. Photographs as Evidence. In: WALDEN, S. (Org.). Photography and Philosophy. Malden: Blackwell, 2008.
CRARY, Jonathan. Técnicas do Observador: visão e modernidade no século XIX. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.
CURRIE, Gregory. Film, Reality, Illusion. In: BORDWELL, D.; CARROLL, N. Post-Theory: reconstructing film studies. Wisconsin: The University of Wisconsin Press, 1996.
DARLEY, Andrew. Visual Digital Culture: surface play and spectacle in new media genres. Londres: Routledge, 2001.
ELKINS, James (Org.). Photography Theory. Londres: Routledge, 2007.
ELSAESSER, Thomas; HAGENER, Malte. Film Theory: an introduction through the senses. Nova Iorque: Routledge, 2015.
GRODAL, Torben. Moving Pictures: a new theory of film genres, feelings, and cognition. Oxford: University of Oxford Press, 1999.
_______________. The Experience of Audiovisual Realism. In: Embodied Visions: evolution, emoion, culture and film. Publicado em 2009. Disponível em < goo.gl/yVUQEL>. Acesso em: 1 mar. 2017.
KUCHERA, Ben. Mass Effect: Andromeda’s character animations continue to be mocked online. Polygon, 16.03.16. Disponível em < goo.gl/1q3isT >. Acesso em: 2 mar. 2017.
MACHADO, Arlindo. Pré-cinemas & Pós-cinemas. São Paulo: Papirus, 2014. Versão Kindle.
MANOVICH, Lev. The Language of new media. Cambridge: MIT Press, 2001.
MITCHELL, W.J.T. Iconology: image, text, ideology. Chicago: The University of Chicago Press, 1987.
PANOFSKY, Erwin. Perspective as Symbolic Form. Nova Iorque: Zone Books, 1992.
PRESTIA, Gaetano. No Man’s Sky: Everything You Need (and Probably Want) To Know. FENIX BAZAR, 06.08.16. Disponível em < goo.gl/csl1ak >. Acesso em: 2 mar. 2017.
ROUILLÉ, André. A fotografia: entre documento e arte contemporânea. São Paulo: Senac, 2009.
SHAKER, N.; TOGELIUS, J.; NELSON, M. J. Procedural Content Generation in Games: A Textbook and an Overview of Current Research. Basileia: Springer, 2016.
SONTAG, Susan. Sobre fotografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. Edição Kindle.
STARKEY, Daniel. The Power of No Man’s Sky is making you feel insignificant. WIRED, 13.08.16. Disponível em < goo.gl/0k6y7y >. Acesso em: 2 mar. 2017.
STUART, Keith. Photorealism - the future of video game visuals. The Guardian, 12.02.15. Disponível em < goo.gl/S8Sh7s >. Acesso em: 3 mar. 2017.

Downloads

Publicado

2017-04-30

Como Citar

ANCHIETA, W. Mass Effect, No Man’s Sky e os realismos nos games. Lumina, [S. l.], v. 11, n. 1, 2017. DOI: 10.34019/1981-4070.2017.v11.21418. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/21418. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Entretenimento Digital: Meios e Processos do Lúdico na Cultura Contemporânea